ACICLOVIR - Reações adversas

Relatou-se o aparecimento de erupções cutâneas em alguns pacientes. Com a suspensão da droga, houve desaparecimento espontâneo das erupções. Efeitos gastrintestinais, os quais incluíam náuseas, vômitos, diarreia e dores abdominais, foram observados em alguns pacientes. Em estudos duplo-cegos, controlados por placebo, a incidência de ocorrências gastrintestinais não diferiu entre os pacientes que receberam placebo e os que receberam aciclovir. Ocasionalmente foram relatadas reações neurológicas reversíveis, como tontura, estados confusionais, alucinações e sonolência, geralmente em pacientes com insuficiência renal ou outros fatores predisponentes. Foram recebidos relatos ocasionais como perda de cabelo difusa e acelerada. Como este tipo de perda de cabelo foi associado a uma ampla variedade de doenças e de medicamentos, a relação entre estes eventos e o tratamento com aciclovir é incerta. As concentrações séricas de ureia e creatinina podem mostrar-se aumentadas, quando o paciente estiver usando aciclovir. Outras ocorrências, embora raramente verificadas, foram aumentos discretos e transitórios na bilirrubina e enzimas hepáticas podendo levar a hepatite e icterícia, pequenos aumentos na ureia e creatinina sanguínea, pequenos decréscimos nos índices hematológicos ocasionando um aumento do risco de infecção ou hematomas inesperados e sangramento, cefaleia e fadiga.São também consideradas reações: tremores, perda de consciência, convulsões ou ataques epiléticos, depressão, agitação, com febre, reações na pele após exposição ao sol.
São considerados raros sintomas alérgicos: inchaço repentino, palpitações ou aperto no peito, colapso, inchaço das pálpebras, face, lábios ou qualquer outro lugar.