JANUMET - Resultados de eficácia

Em estudos clínicos, a co-administração de sitagliptina e metformina proporcionou significativa melhora do controle glicêmico em pacientes com diabetes tipo 2 inadequadamente controlados com metformina. Não foram conduzidos estudos clínicos de eficácia com JANUMET®, entretanto foi demonstrada a bioequivalência de JANUMET® com os comprimidos de sitagliptina e cloridrato de metformina co-administrados.
Dois estudos clínicos duplo-cegos, controlados por placebo, que envolveram pacientes com diabetes mellitus tipo 2 avaliaram a segurança e a eficácia da co-administração de sitagliptina e metformina. Em ambos os estudos, os pacientes com controle glicêmico inadequado sob doses estáveis de metformina 1.500 mg foram distribuídos de modo randômico para receber 100 mg de sitagliptina por dia ou placebo em adição ao tratamento com metformina.
Em um estudo, 701 pacientes receberam 100 mg de sitagliptina ou placebo uma vez ao dia durante 24 semanas. A adição de sitagliptina ao tratamento com metformina, em comparação à adição de placebo ao tratamento com metformina, melhorou significativamente os níveis de HbA1c (-0,65%), a glicemia de jejum (-25,4 mg/dL) e a glicemia pós-prandial de 2 horas (-50,6 mg/mL) (veja figura 1 e Tabela 1). Essa melhora na HbA1c não foi afetada pelo valor basal de HbA1c, pelo tratamento hipoglicemiante prévio, sexo, idade, valor basal do IMC, duração do diabetes, presença de síndrome metabólica ou pelos índices padrões de resistência a insulina (HOMA-IR) ou de secreção de insulina (HOMA-). Observou-se diminuição semelhante do peso corporal em ambos os grupos de tratamento.



Em um estudo separado, foi avaliada a glicose plasmática nas 24 horas. Vinte e oito pacientes receberam 50 mg de sitagliptina ou placebo duas vezes ao dia durante 4 semanas em adição a um esquema com metformina (duas vezes ao dia). Após 4 semanas de tratamento, a diferença na eficácia na diminuição da glicose foi avaliada como média ponderada da glicose (MPG) nas 24 horas, com base em múltiplas coletas de sangue, incluindo aquelas obtidas antes e após as refeições e durante a noite. A co-administração de sitagliptina 50 mg e metformina, duas vezes ao dia, diminui significativamente a MPG nas 24 horas (-32,8 mg/dL) em comparação com o placebo co-administrado com metformina. Além disso, a co-administração de sitagliptina com metformina, em comparação com a administração de placebo e metformina, diminuiu substancialmente as concentrações de glicose em jejum e demonstrou picos de glicose menores após as três refeições (veja Figura 2). Nas avaliações da glicose coletada pelo paciente, a co-administração de sitagliptina e metformina também propiciou reduções significativas na média da glicemia em jejum (-20,3 mg/dL), média da glicemia em 7 pontos (-28,0 mg/dL) e na concentração de glicose pós-prandial de 2 horas (-36,6 mg/dL), em comparação com a administração de placebo e metformina.

Cloridrato de metformina
O UKPDS, um estudo randômico e prospectivo, estabeleceu os benefícios a longo prazo do controle intensivo da glicemia no diabetes tipo 2. A análise dos resultados de pacientes com sobrepeso que receberam metformina após insucesso da dieta isoladamente, mostrou:
- significativa redução do risco absoluto de qualquer complicação relacionada ao diabetes no grupo da metformina (29,8 eventos/1.000 paciente-anos) versus somente dieta (43,3 eventos/1.000 paciente-anos), p= 0,0023 e versus o grupo que recebeu a combinação de sulfoniluréias e monoterapia com insulina (40.1 eventos/1.000 paciente-anos), p= 0,0034
- significativa redução do risco absoluto de morte relacionada ao diabetes: metformina, 7,5 eventos/1.000 paciente-anos e somente dieta, 12,7 eventos/1.000 paciente-anos, p= 0,017.
- significativa redução do risco absoluto de mortalidade total: metformina, 13,5 eventos/1.000 paciente-anos versus somente dieta, 20,6 eventos/1.000 paciente-anos (p= 0,011) e versus a combinação de sulfoniluréias e monoterapia com insulina 18,9 eventos/1.000 paciente-anos (p= 0,021).
- significativa redução no risco absoluto de infarto do miocárdio: metformina, 11 eventos/1.000 paciente-anos, somente dieta, 18 eventos/1.000 paciente-anos (p= 0,01).