MICRODIOL - Interações medicamentosas

Poderá ocorrer sangramento irregular e confiabilidade reduzida quando os anticoncepcionais forem administrados concomitantemente com outros medicamentos. As seguintes interações foram relatadas na literatura:
Metabolismo hepático: podem ocorrer interações com drogas que induzem as enzimas microssomais, que podem resultar em depuração aumentada dos hormônios sexuais (por exemplo fenitoína, barbituratos, primidona, carbamazepina, rifampicina, e possivelmente também a oxcarbazepina, topiramato, felbamato, ritonavir, griseofulvina e produtos fitoterápicos contendo Hypericum perforatum (erva de São João ou St. John's wort).
Interferência com a circulação entero-hepática: alguns relatos clínicos sugerem que a circulação entero-hepática dos estrogênios pode ser diminuída quando determinados antibióticos são administrados e isso pode reduzir as concentrações do etinilestradiol (por exemplo, penicilinas e tetraciclinas).
Mulheres em tratamento com quaisquer dessas substâncias devem temporariamente usar um método de barreira além do COC ou escolher outro método de contracepção. Com as substâncias indutoras das enzimas microssomais, o método de barreira deve ser usado durante o tempo de uso concomitante das substâncias e por 28 dias após sua descontinuação. As mulheres em tratamento com antibióticos (exceto rifampicina e griseofulvina) devem usar o método de barreira até 7 dias após a descontinuação. Se, devido ao uso do antibiótico, a utilização do método de barreira se prolongar até o final da embalagem dos comprimidos do COC, a próxima embalagem de COC deve ser iniciada sem o intervalo habitual sem uso dos comprimidos.
Os contraceptivos podem interferir com o metabolismo de outras substâncias. Da mesma forma, as concentrações plasmáticas e tissulares podem ser afetadas (exemplo, ciclosporina).
Observação: as bulas dos medicamentos usados concomitantemente devem ser consultadas para identificar possíveis interações.