Índice Remédio OMNARIS

Apresentações
Suspensão nasal em spray. Embalagens com 60 ou 120 doses de 50 mcg de ciclesonida.
Uso inalatório nasal.
USO ADULTO E PEDIÁTRICO
Composição
Cada dose de Omnaris* contém: Ciclesonida 50 mcg; Excipientes: celulose microcristalina, carmelose, hipromelose, sorbato de potássio e edetato dissódico e ácido clorídrico.
Informações técnicas
Características farmacológicas
Propriedades farmacodinâmicas
O componente ativo do Omnaris* é a ciclesonida, um glicocorticóide não halogenado, uma pró-droga que é enzimaticamente hidrolisada em um metabólito farmacologicamente ativo, o C21-desisobutiril-ciclesonida (des-ciclesonida ou RM1) após aplicação intranasal. A des-ciclesonida tem atividade antiinflamatória com afinidade para o receptor glicocorticóide 120 vezes maior que o composto principal.
Assim como os demais corticosteróides nasais, o exato mecanismo de ação da ciclesonida na rinite alérgica não é bem conhecido. Demonstrou-se que os corticosteróides têm uma ampla gama de efeitos sobre diversos tipos de células (mastócitos, eosinófilos, neutrófilos, macrófagos e linfócitos) e mediadores (histamina, eicosanóides, leucotrienos e citocinas) envolvidos na inflamação alérgica.
Um estudo, com duração de 52 semanas, não registrou alterações significativas nos níveis de cortisol em urina de 24 horas, cortisol sérico matutino, pressão intra-ocular e opacificação dos cristalinos em adolescentes (maior que 12 anos) e adultos, quando comparados ao uso de placebo. Em crianças de 6 a 11 anos de idade, um estudo de 12 semanas de tratamento mostrou que o cortisol plasmático matinal médio não sofreu nenhum efeito consistente diferente do placebo em relação aos valores basais.
Propriedades farmacocinéticas
Absorção
A administração intranasal de ciclesonida nas doses recomendadas resulta em concentrações séricas insignificantes de ciclesonida. A ciclesonida e a des-ciclesonida têm uma biodisponibilidade oral insignificante (ambas menores que 0,1%) devido à baixa absorção gastrintestinal e ao alto metabolismo de primeira passagem. Os imuno-ensaios usados nestes testes detectaram até 25 pg/ml e 10 pg/ml de ciclesonida e des-ciclesonida, respectivamente.
Distribuição
Após administração intravenosa de 800 mcg de ciclesonida, os volumes de distribuição de ciclesonida e des-ciclesonida foram de aproximadamente 2,0 L/kg e 12,1 L/kg, respectivamente. A porcentagem de ciclesonida e des-ciclesonida ligada às proteínas plasmáticas humanas foi em média 99%. Portanto, menos de 1% do medicamento não ligado à proteínas plasmáticas foi detectado na circulação sistêmica. A des-ciclesonida não é significativamente ligada à transcortina humana.
Metabolismo
A ciclesonida intranasal é hidrolisada em um metabólito biologicamente ativo, a des-ciclesonida, por esterases na mucosa nasal. A des-ciclesonida passa por metabolismo adicional no fígado para outros metabólitos principalmente pela isozima CYP 3A4 e, em uma menor extensão, pelo CYP 2D6. A gama total de metabólitos potencialmente ativos da ciclesonida não foi caracterizada.
Eliminação
Após administração intravenosa de 800 mcg de ciclesonida, os valores de depuração da ciclesonida e des-ciclesonida foram altos (aproximadamente 152 L/h e 228 L/h, respectivamente). A ciclesonida marcada com 14C foi excretada predominantemente através das fezes após administração intravenosa (66%) indicando que a excreção através da bile é a principal via de eliminação. Cerca de 20% da radioatividade relativa ao medicamento foram excretados na urina.
Populações Especiais
A farmacocinética da ciclesonida administrada por via intranasal não foi avaliada em subpopulações de pacientes porque os níveis sangüíneos resultantes de ciclesonida e des-ciclesonida são insuficientes para os cálculos farmacocinéticos.
As informações obtidas após a inalação oral de ciclesonida não foram significativamente influenciadas por características do indivíduo, como peso corporal, idade, raça e sexo, nem indicam a necessidade de ajuste de dose em caso de insuficiência hepática. Não foram realizados estudos em pacientes com insuficiência renal.
Propriedades toxicológicas
Carcinogênese, Mutagênese, Prejuízo à Fertilidade
A ciclesonida não demonstrou potencial carcinogênico nem mutagênico em estudos animais. A ação clastogênica foi similar à da dexametasona.
Não foi observada nenhuma evidência de prejuízo à fertilidade em estudos em animais com doses de até 35 vezes a dose intranasal diária humana máxima em adultos com base em mcg/m2.
Gestação
Categoria C de Gestação
Efeitos Teratogênicos: Não há estudos adequados e bem controlados em mulheres grávidas ou em fase de amamentação. Omnaris*, como outros corticosteróides, deve ser usado durante a gestação ou amamentação apenas se o benefício esperado justificar o potencial risco para o feto.
A experiência com corticosteróides orais desde a sua introdução demonstram que, pelo fato de haver um aumento natural na produção de corticosteróide durante a gestação, a maioria das mulheres precisará de uma menor dose exógena de corticosteróide e muitas não precisarão de tratamento com corticosteróides durante a gestação.
Efeitos Não-Teratogênicos: Pode ocorrer hipoadrenalismo em bebês nascidos de mães que estejam recebendo corticosteróides durante a gestação. Estes bebês devem ser cuidadosamente monitorados.
Indicações
Omnaris* é indicado para o tratamento dos sintomas de rinite alérgica intermitente em adultos e crianças acima de 6 anos de idade e de rinite alérgica persistente em adultos e adolescentes (acima de 12 anos de idade).
Resultados de eficácia
Rinite Alérgica Intermitente e Persistente1-10
Pacientes Adultos e Adolescentes acima de 12 anos 1-7:
A eficácia e a segurança do Omnaris* foram avaliadas em 4 estudos clínicos randomizados, duplo-cegos, de grupos paralelos, multicêntricos controlados por placebo com duração de 2 semanas a 1 ano com adolescentes e adultos com rinite alérgica. Três destes estudos tiveram duração de 2 a 6 semanas e foram primariamente destinados a avaliar a eficácia. Um destes estudos teve duração de um ano e foi destinado primariamente a avaliar a segurança. Os três estudos com duração de 2 a 6 semanas incluíram um total de 1.524 pacientes (495 homens e 1.029 mulheres), com idades entre 12 e 86 anos, dos quais 79 eram adolescentes (com idades entre 12 e 17 anos), com histórico de rinite alérgica intermitente ou persistente, um teste cutâneo positivo para no mínimo um alérgeno relevante e sintomas ativos de rinite alérgica na admissão do estudo. Destes, 546 pacientes receberam Omnaris* 200 mcg uma vez ao dia administrado na forma de 2 doses em cada narina. A avaliação da eficácia nestes estudos foi baseada no registro pelos pacientes de quatro sintomas nasais (coriza nasal, prurido nasal, espirros e congestão nasal) em uma escala categórica de gravidade de 0-3 (0 = ausente e 3 = grave) como pontuações reflexivas (que registravam a gravidade dos sintomas nas últimas 12 horas) ou instantâneas (que registravam a gravidade dos sintomas no momento do registro). Os resultados destes estudos demonstraram que os pacientes tratados com Omnaris* 200 mcg uma vez ao dia apresentaram reduções estatisticamente significantes maiores nas pontuações de sintomas nasais totais do que os pacientes tratados com placebo. Medidas secundárias de eficácia também foram favoráveis de maneira geral.
No estudo clínico de determinação de dose de 2 semanas, o Omnaris* 200 mcg uma vez ao dia foi estatisticamente significantemente diferente do placebo.

Nos estudos conduzidos no período de 4 a 6 semanas em pacientes com rinite alérgica intermitente e persistente, respectivamente, o Omnaris* 200 mcg uma vez ao dia foi estatisticamente significantemente diferente do placebo. Diferenças estatisticamente significantes na pontuação total instantânea de sintoma nasal pré-dose matinal indicam que o efeito foi mantido por todo o intervalo de dosagem de 24 horas.

Um estudo randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, realizado em 502 adultos com rinitealérgica, com pelo menos 2 anos de duração, observou que Omnaris* (na dose de 200mcg/dia) iniciou sua ação após a primeira hora de administração (p=0,001 em relação ao placebo). O tempo de duração de sua ação também foi avaliada em outros 2 estudos nos quais também se observou que os efeitos de Omnaris* foram observados durante 24 horas com melhoria sintomática adicional observada em 1 a 2 semanas em rinite alérgica intermitente e em 5 semanas em rinite alérgica persistente.
Pacientes Pediátricos com idade de 6 a 11 anos:
A eficácia de doses de até 200 mcg de Omnaris® uma vez ao dia foi avaliada em dois estudos clínicos randomizados, duplo-cegos, de grupos paralelos, multicêntricos, placebo-controlados de 2 e 12 semanas de duração em 1282 pacientes com 6 a 11 anos de idade com rinite alérgica. No estudo de 2 semanas em pacientes com rinite alérgica intermitente, apenas a dose diária de 200 mcg de Omnaris® determinou diferenças estatisticamente significantes nas médias dos escores totais dos sintomas nasais reflexivos matinais e noturnos em relação aos valores basais em comparação com o placebo, mas não a de 100 mcg.

Pacientes Pediátricos com idade de 2 a 5 anos:
A eficácia de Omnaris® em doses de até 200 mcg diários foi avaliada em dois estudos randomizados duplo-cegos, de grupos paralelos, placebo-controlados de 6 e 12 semanas de duração em 258 pacientes de 2 a 5 anos de idade com rinite alérgica persistente. Embora fossem primariamente de segurança, ambos os estudos mostraram evidências de eficácia. No estudo de 12 semanas, a dose diária de 200 mcg de Omnaris® spray nasal determinou uma maior redução, estatisticamente significante, no escore total dos sintomas nasais em relação ao placebo. No estudo de 6 semanas, uma tendência numérica de redução do escore de sintomas nasais avaliado pelo médico, foi observada em todos os grupos que usaram as várias doses de ciclesonida (200 mcg, 100 mcg e 25 mcg), quando comparados ao placebo. O uso de medicações de resgate foi semelhante nos 4 grupos avaliados.
De uma maneira geral, Omnaris* foi seguro e bem tolerado nesta faixa etária. A incidência global de eventos adversos foi similar em ambos os grupos de tratamento, sendo os eventos mais comuns a irritação ocular, epistaxe e irritação nasal. Em ambos os grupos, 2,4% dos pacientes descontinuaram o tratamento devido a eventos adversos. Não se observou alterações de significado clínico no exame físico geral, nos sinais vitais e na pressão intra-ocular.
Referências Bibliográficas
Kim, K et al
. Safety of once-daily ciclesonide nasal spray in children 2 to 5 years of age with perennial allergic rhinitis. Ped Asthma, Allergy Immunol 2007; 87(6):340-53.
Patel, P. et al. Onset of action of ciclesonide once daily in the treatment of seasonal allergic rhinitis. Aear Nose Throat J 2008;97(5):657-63.
Ratner PH et al. Effectiveness of ciclesonide nasal spray in the treatment of seasonal allergic rhinitis. Ann Allergy Asthma Immunol 2006;97(5):657-63.
Ratner PH et al. Efficacy and safety of ciclesonide nasal spray for the treatment of seasonal allergic rhinitis. J Allergy Clin Immunol 2006;118(5):1142-8.
Meltzer EO et al. Efficacy and safety of ciclesonide, 200 microg once daily, for the treatment of perennial allergic rhinitis. Ann Allergy Asrthma Immunol 2007;98(2):175-81.
Chervinsky P et al. Long-term safety and efficacy of intranasal ciclesonide in adult and adolescent patients with perennial allergic rhinitis. Ann Allergy Asthma Immunol 2007;99(1):69-76.
Schmidt BM et al. The new topical steroid ciclesonide is effective in the treatment of allergic rhinitis. J Clin Pharmacol 199; 39(10):1062-9.
Dhillon S, Wagstaff AJ. Ciclesonide nasal spray: in allergic rhinitis. Drugs 2008;68(6):875-83.
Nave R et al. Safety, tolerability, and exposure of ciclesonide nasal spray in healthy and asymptomatic subjects with seasonal allergic rhinitis. J Clin Pharmacol 2006;46(4):461-7.
FDA. Medical review. Omnaris nasal spray [online]. Available from URL: [Accessed 2008 Mar 13].
Estudo149/2005 (M1-403). A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled, Parallel-Group, Phase 3 Clinical Trial Designed to Assess the Efficacy and Safety of Ciclesonide Applied as a Nasal Spray at Three Dose Levels (200 mg, 100 mg, or 25 mg, once daily) in the Treatment of Perennial Allergic Rhinitis (PAR) in Patients 6-11 Years of Age. Dados em Arquivo - Relatório Clínico
Estudo 452/2006 (M1-417). A Randomized, Double-Blind, Placebo-Controlled, Parallel-Group, Clinical Trial Designed to Assess the Safety and Efficacy of Ciclesonide (200 mg and 100 mg, once daily) Applied as a Nasal Spray for Two Weeks in the Treatment of Seasonal Allergic Rhinitis (SAR) in Patients 6 to 11 Years of Age. Dados em Arquivo - Relatório Clínico
Contraindicações
Omnaris* é contra-indicado em pacientes com hipersensibilidade a qualquer dos seus componentes.
Advertências e precauções
Os corticosteróides intranasais, quando administrados a pacientes pediátricos, podem causar uma redução na velocidade de crescimento.
Raramente, podem ocorrer reações imediatas de hipersensibilidade ou dermatite de contato após a administração de corticosteróides intranasais. Os pacientes com reação de hipersensibilidade conhecida a outras preparações de corticosteróides devem tomar cuidado quando usar spray nasal de ciclesonida pois pode ocorrer reação cruzada com outros corticosteróides.
Por causa do efeito inibitório dos corticosteróides sobre a cicatrização de ferimentos, pacientes que tenham tido recentes úlceras no septo nasal ou sofrido cirurgia nasal ou trauma nasal não devem usar um corticosteróide nasal até que tenha ocorrido a cicatrização.
Em estudos clínicos com Omnaris*, foi raro o desenvolvimento de infecções localizadas do nariz e na faringe com Candida albicans. Quando tal infecção surge, ela pode exigir tratamento com terapia local apropriada e descontinuação do Omnaris*. Portanto, pacientes usando o Omnaris* por vários meses ou por um período mais longo devem ser examinados periodicamente quanto à evidência de infecção por Candida ou outros sinais de efeitos adversos sobre a mucosa nasal.
Os corticosteróides intranasais devem ser administrados com cuidado, principalmente a pacientes com infecções por tuberculose ativa ou inativa do trato respiratório, com infecções fúngicas ou bacterianas locais ou sistêmicas, com infecções virais ou parasitárias sistêmicas ou com Herpes simplex ocular.
O risco de glaucoma foi analisado pelas avaliações da pressão intra-ocular em 3 estudos incluindo 943 pacientes, não tendo sido observadas diferenças significativas nas mudanças da pressão ocular entre os pacientes tratados com Omnaris* 200 mcg e placebo. Também não foram observadas diferenças significativas entre os pacientes tratados com Omnaris* 200 mcg e placebo durante o estudo de 52 semanas de pacientes adultos e adolescentes nos quais avaliações oftalmológicas completas foram realizadas, inclusive avaliação de formação de catarata usando exames em lâmpada de fenda. Raros casos de sibilação, perfuração do septo nasal, catarata, glaucoma e aumento na pressão intra-ocular foram relatados após a aplicação intranasal de corticosteróides. Um acompanhamento próximo deve ser assegurado em pacientes com mudança na visão e com histórico de glaucoma e/ou cataratas.
A substituição de um corticosteróide sistêmico por um corticosteróide tópico pode ser acompanhada de sinais de insuficiência adrenal. Além disso, alguns pacientes podem apresentar sintomas de abstinência de corticosteróide, como por exemplo, dor articular e/ou muscular, cansaço e depressão. Os pacientes tratados por períodos prolongados com corticosteróides sistêmicos e transferidos para corticosteróides tópicos devem ser cuidadosamente monitorados quanto à insuficiência adrenal aguda em resposta ao estresse. Nos pacientes que têm asma ou outras condições clínicas que exijam tratamento com corticosteróide sistêmico por longo prazo, rápidas reduções nas doses de corticosteróide sistêmico podem provocar uma exacerbação grave dos sintomas.
Os pacientes que estão usando medicamentos supressores do sistema imune são mais suscetíveis a infecções do que os indivíduos sadios. Varicela e sarampo, por exemplo, podem ter um curso mais sério, ou até mesmo fatal, em crianças ou adultos usando corticosteróides. Em crianças ou adultos que não tenham tido estas doenças ou não tenham sido adequadamente imunizadas, deve-se tomar cuidado particular para evitar sua exposição. Não se sabe como a dose, via e duração da administração de corticosteróide afetam o risco do desenvolvimento de uma infecção disseminada. Em caso de exposição à varicela ou ao sarampo, o paciente deve procurar orientação médica adequada para tratamento profilático.
Gravidez e lactação: categoria de risco na gravidez - C.
Não existem estudos clínicos bem controlados em gestantes.
Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião dentista.
Não se sabe se a ciclesonida é excretada no leite humano. Entretanto, outros corticosteróides são excretados no leite humano. Deve-se tomar cuidado se Omnaris* for administrado a lactantes.
Omnaris* só deve ser utilizado quando o benefício para a mãe for considerado maior que o risco potencial ao feto ou à criança.
Uso em idosos, crianças e outros grupos de risco
Crianças
Estudos clínicos controlados demonstraram que os corticosteróides intranasais podem causar uma redução na velocidade de crescimento de pacientes pediátricos. Este efeito tem sido observado na ausência de evidência laboratorial de supressão do eixo hipófise-hipotálamo-adrenal (HPA), sugerindo que a velocidade de crescimento é um indicador mais sensível de exposição sistêmica ao corticosteróide em pacientes pediátricos do que alguns testes de função do eixo HPA usados comumente. Não são conhecidos os efeitos a longo-prazo desta redução da velocidade de crescimento associada aos corticosteróides intranasais, incluindo o impacto final na altura do adulto. O potencial de retomada de crescimento após descontinuação do tratamento com corticosteróide intranasal não foi adequadamente estudado. O crescimento de pacientes pediátricos em uso de corticosteróide intranasal, incluindo Omnaris®, deve ser monitorado rotineiramente (p.ex. através de estadiometria). Os potenciais efeitos sobre o crescimento do tratamento prolongado devem ser ponderados com os benefícios clínicos obtidos e à disponibilidade de tratamentos seguros e efetivos alternativos aos corticosteróides. Para minimizar os efeitos sistêmicos dos corticosteróides intranasais, cada paciente deve receber a menor dose que efetivamente controla seus sintomas.
Pacientes idosos
Os estudos clínicos do Omnaris* não incluíram um número suficiente de indivíduos com 65 anos de idade ou mais para determinar se eles respondem de maneira diferente dos indivíduos mais jovens. Em geral, a seleção da dose para um paciente idoso deve ser cuidadosa, normalmente começando na extremidade inferior da faixa de dose, considerando a maior freqüência de diminuição da função hepática, renal ou cardíaca e doenças concomitantes ou uso de outras terapias.
Interações medicamentosas

Com base em estudos in vitro em microssomos de fígado humano, a des-ciclesonida parece não ter potencial inibitório ou de indução sobre o metabolismo de outros medicamentos metabolizados pelas enzimas CYP450. O potencial inibidor da ciclesonida nas isoenzimas CYP450 não foi estudado. Estudos in vitro demonstraram que a ligação com a proteína plasmática da des-ciclesonida não foi afetada por varfarina ou ácido salicílico, não indicando potencial para interações medicamentosas baseadas em ligação protéica.
Em um estudo de interação medicamentosa, a co-administração de ciclesonida inalada por via oral e eritromicina oral, um inibidor do citocromo P450 3A4, não teve efeito sobre a farmacocinética da des-ciclesonida ou da eritromicina. Em um outro estudo de interação medicamentosa, a co-administração de ciclesonida inalada por via oral e cetoconazol oral, um potente inibidor do citocromo P450 3A4, aumentou a exposição (AUC) da des-ciclesonida em aproximadamente 3,6 vezes no equilíbrio dinâmico (steady state), enquanto que os níveis de ciclesonida permaneceram inalterados. Portanto, o cetoconazol deve ser administrado com cuidado com ciclesonida intranasal.
Cuidados de armazenamento
Armazenar à temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Agitar suavemente antes do uso. Não aspergir nos olhos.
Posologia e modo de usar
Modo de usar e cuidados de conservação depois de aberto
Omnaris* não contém o conservante cloreto de benzalcônio em sua composição. Por isso, é importante que o paciente registre a data de validade do medicamento após a retirada de sua embalagem. Oriente o paciente para contar 4 meses a partir da retirada do frasco de spray nasal de Omnaris* da embalagem. O frasco do spray nasal deverá ser descartado após a data. Isto evitará que o paciente use o medicamento com o prazo de validade vencido.
Antes do primeiro uso, o frasco de Omnaris* deverá ser agitado suavemente e o aplicador deve ser acionado por oito vezes. Caso o produto não seja usado por quatro dias consecutivos, o fraco deve ser agitado suavemente e deve ter seu aplicador acionado para liberar uma dose ou até que uma névoa fina apareça. Isto serve para promover o preenchimento interno da válvula e proporcionar a dose exata no momento de utilização.
Este medicamento, depois de aberto, somente poderá ser consumido em 4 meses.
Posologia
Omnaris* é para uso exclusivo intranasal
Para crianças acima de 6 anos de idade, adolescentes e adultos recomendam-se 2 doses (jatos) em cada narina uma vez ao dia, tanto na rinite alérgica intermitente como na persistente.
A dose diária total máxima não deve ultrapassar 2 doses (jatos) em cada narina (200 mcg/dia).
Reações adversas
Adultos e Adolescentes (acima de 12 anos de idade):
Em estudos clínicos controlados, um total de 1.524 pacientes com idades de 12 anos ou mais receberam tratamento com ciclesonida administrada por via intranasal. Em estudos de 2 a 6 semanas de duração em pacientes de 12 anos de idade ou mais, 546 pacientes foram tratados com Omnaris* 200 mcg diariamente e em um estudo de até 1 ano de duração, 441 pacientes foram tratados com Omnaris* 200 mcg diariamente. A incidência global dos eventos adversos para os pacientes tratados com Omnaris* foi comparável com a dos pacientes tratados com placebo. Os eventos adversos não diferiram significativamente com base na idade, sexo ou raça. Aproximadamente 2% dos pacientes tratados com Omnaris* 200 mcg em estudos clínicos descontinuaram o estudo por causa dos eventos adversos; esta taxa foi semelhante para os pacientes tratados com placebo.
Os eventos adversos, independentemente da relação com o medicamento, que ocorreram com uma incidência de 2% ou mais e mais freqüentemente com o Omnaris* 200 mcg do que com o placebo em estudos clínicos com 2 a 6 semanas de duração são apresentados na tabela a seguir.

Em um estudo de segurança de longo prazo de 52 semanas que incluiu 663 pacientes adultos e adolescentes (441 tratados com ciclesonida: 227 homens e 436 mulheres) com rinite alérgica persistente, o perfil de eventos adversos no período de tratamento foi semelhante ao perfil de eventos adversos nos estudos de menor duração. Os eventos adversos considerados provavelmente ou definitivamente relacionados com o Omnaris* que foram relatados a uma incidência de 1% ou mais dos pacientes e mais comumente no Omnaris* em relação ao placebo foram epistaxe, desconforto nasal e cefaléia. Nenhum paciente sofreu perfuração do septo nasal ou úlcera nasal durante o uso em longo prazo de Omnaris*.
Pacientes Pediátricos com idade de 6 a 11 anos:
Foram conduzidos dois estudos clínicos controlados de 2 e 12 semanas de duração que incluíram um total de 1282 pacientes de 6 a 11 anos de idade com rinite alérgica, dos quais 913 foram tratados com Omnaris* spray nasal (200 mcg, 100 mcg e 25 mcg de ciclesonida diariamente) e os demais com placebo. A incidência global de eventos adversos para os pacientes tratados com Omnaris* foi comparável à observada nos pacientes tratados com o placebo. Estes eventos não diferiram de forma relevante em relação a idade, sexo ou raça. Nos estudos clínicos, 1,6% e 2,7% dos pacientes tratados com Omnaris* 200 mcg ou 100 mcg, respectivamente, descontinuaram devido a eventos adversos; estas taxas foram menores do que as observadas com o uso do placebo (2,8%). A tabela a seguir apresenta os eventos adversos ocorridos com uma incidência igual ou superior a 3% e mais freqüentemente com Omnaris* 200 mcg e 100 mcg do que com placebo, independente da relação com a droga.

Atenção: este é um medicamento novo e, embora as pesquisas tenham indicado eficácia e segurança aceitáveis para comercialização, efeitos indesejáveis e não conhecidos podem ocorrer. Neste caso, informe seu médico.
Superdose
Não existem dados disponíveis sobre os efeitos de superdose aguda ou crônica com Omnaris*. Devido à baixa biodisponibilidade sistêmica, é improvável que a superdose aguda exija qualquer terapia exceto observação cuidadosa. Uma dose oral única de até 10 mg de ciclesonida em voluntários sadios foi bem tolerada e os níveis séricos de cortisol permaneceram virtualmente inalterados em comparação com o tratamento com placebo. A superdose crônica com qualquer corticosteróide pode resultar em sinais ou sintomas de hipercorticismo (consulte Advertências).
Dizeres legais
MS-1.0639.0251
VENDA SOB PRESCRIÇÃO MÉDICA.

Adicionar um comentário

 
Strict Standards: Declaration of MY_Exceptions::show_404() should be compatible with CI_Exceptions::show_404($page = '', $log_error = true) in /home/farmacoinfo/public_html/br/application/core/MY_Exceptions.php on line 0

A PHP Error was encountered

Severity: Notice

Message: Undefined index: gracias

Filename: blocks/med_comentarios_form.php

Line Number: 16

*