ABACAVIR - Reações adversas

As reações adversas comunicadas durante o tratamento da enfermidade por HIV com abacavir foram similares em adultos ou em crianças. Em muitos desses efeitos, não ficou esclarecido se estavam diretamente relacionados ao abacavir em função da grande quantidade de fármacos empregados no tratamento da enfermidade causada pelo HIV, ou se eram consequência do processo mórbido em si. Os seguintes efeitos provavelmente estejam relacionados ao fármaco: náuseas, vômitos, letargia, fadiga, febre, cefaleia, diarreia e anorexia. Em geral as reações adversas foram de caráter passageiro e não limitantes do tratamento. Hipersensibilidade: aproximadamente 5% dos pacientes que receberam abacavir desenvolveram um reação de hipersensibilidade. Em geral os sintomas aparecem nas primeiras 6 semanas e frequentemente se caracterizaram por febre, sintomas gastrintestinais (náuseas, vômitos, diarreias, dores abdominais), rash cutâneo e letargia ou mal-estar. Outros sintomas podem compreender mialgia, artralgias, edema e parestesia. O exame físico pode revelar linfadenopatia e, ocasionalmente, lesões das membranas mucosas (conjuntivite e ulcerações da mucosa bucal) e hipotensão. As alterações em exames laboratoriais incluem elevação dos valores das provas da função hepática ou da creatinofosfoquinase, ou linfopenia.