ALFADROTRECOGINA Informações da substância

Propriedades

O drotrecogin alfa (ativado) é uma glicoproteína com peso molecular de aproximadamente 55 quilodáltons, que consiste em uma cadeia pesada e uma cadeia leve unidas por uma ligação dissulfeto, com sítios de glicosilação idênticos aos da proteína C humana (é a forma recombinante da proteína-C humana ativada). Em virtude de sua atividade inibidora sobre os fatores de coagulação Va e VIIIa, a proteína C ativada possui efeito antitrombótico. Estudos in vitro indicaram que tem ação profibrinolítica indireta devido a sua capacidade de inibir o inibidor-1 do ativador de plasminogênio (PAI-1) e diminuir a produção do inibidor da fibrinólise ativável por trombina ativada. Além disto, observou-se que a proteína C ativada possui ação anti-inflamatória em função de inibir a produção do fator de necrose tumoral (TNF) por parte dos monócitos, bloqueando a adesão dos leucócitos às selectinas, e limitando as respostas inflamatórias dentro do endotélio microvascular induzidas pela geração de trombina. Em comparação com os pacientes que receberam placebo, os pacientes tratados com drotrecogina alfa experimentaram diminuções mais rápidas nos níveis do dímero D, PAI-1, trombina-antitrombina, protrombina F1.2, interleucina 6 (IL-6), e aumentos mais rápidos nos níveis de proteína C e antitrombina, além de normalização do plasminogênio. A drotrecogina alfa, assim como a proteína C ativada endógena, são inativadas no plasma pelos inibidores endógenos de proteases.

Indicações

Sepses graves associadas a estados de disfunção orgânica (falência múltipla de órgãos).

Posologia

Dose usual: via intravenosa por flebóclise, 24 mg/kg/h durante 96 horas. Não se recomenda sua aplicação em bolo.

Superdosagem

Até o presente não se conhece um antídoto para a drotrecogina alfa.

Reações adversas

As principais reações adversas são hemorragias de localização diversa (intracraniais, gastrintestinais, intra-abdominais, intratorácicas, retroperitoneais, geniturinárias e cutâneas) durante a flebóclise.

Precauções

Recomenda-se não administrar a pacientes com idade inferior a 18 anos com sepse grave nem a pacientes adultos com sepse grave e sob risco de morte. A maioria dos pacientes com sepse grave tem uma coagulopatia que está associada com o prologamento do tempo de tromboplastina parcial ativado (TTPA) e o tempo de protrombina (TP). Como a drotrecogina alfa pode modificar de modo variável o TTPA, recomenda-se não utilizar o TTPA para avaliar o estado da coagulopatia durante a infusão desta droga. Pelo contrário, como o efeito da drotrecogina alfa sobre o TP é mínimo, recomenda-se utilizar esta prova nos pacientes. De modo semelhante ao que ocorre com todas as proteínas terapêuticas, existe a possibilidade de imunogenicidade. Não é aconselhável administrar a drotrecogina alfa a mulheres grávidas ou durante o período de amamentação. Recomenda-se avaliar o risco de hemorragia grave pela administração de drotrecogina alfa nas seguintes situações clínicas: tratamento concomitante com heparina 15 Unidades/kg/h; contagens de plaquetas < 30.000 x 106/l, mesmo que a contagem de plaquetas se eleve após as transfusões; tempo de protrombina-INR (International Normalized Ratio) > 3,0; hemorragia gastrintestinal recente (dentro das 6 semanas anteriores); tratamento trombolítico recente (dentro dos 3 dias anteriores); administração recente de anticoagulantes orais ou inibidores da glicoproteína IIb/IIIa (dentro dos 7 dias anteriores); administração recente (dentro dos 7 dias precedentes) de ácido acetilsalicílico > 650mg/dia ou de outros antiagregantes plaquetários; acidente vascular cerebral recente (dentro dos 3 meses anteriores); má-formação arteriovenosa intracraneal ou aneurisma; diátese hemorrágica; insuficiência hepática grave. O uso da drotrecogina alfa 2 deverá ser suspenso horas antes de um procedimento cirúrgico invasivo ou com algum risco potencial de hemorragia.

Interações

Não são conhecidas. Administrar com precaução concomitantemente com outras substâncias que afetam a hemostasia.

Contraindicações

Hemorragia interna, acidente vascular cerebral recente (dentro dos 3 meses), cirurgia intracranial ou intraespinal, ou traumatismo craniano grave recente (dentro dos 2 meses), trauma com risco elevado de hemorragia que traga risco de morte, presença de cateter epidural e neoplasia intracranial ou lesão com efeito de massa ou evidência de hérnia cerebral. Hipersensibilidade conhecida à droga.