ALFENTANILA - Precauções

A alfentanila deve ser administrada somente por pessoas treinadas no uso de agentes anestésicos intravenosos e gerais, assim como no controle dos efeitos respiratórios dos opioides potentes. Um antagonista opioide, equipes de reanimação e intubação e oxigênio devem estar disponíveis durante a cirurgia e após concluída a mesma. Como com todos os opiáceos potentes, a analgesia profunda associa-se com depressão respiratória marcada, que pode persistir nos primeiros períodos pós-cirúrgicos. Deve-se evitar a administração de doses elevadas, para assegurar que o paciente obtenha, ao sair da sala de operações, uma respiração espontânea adequada. A hiperventilação durante a anestesia pode alterar a resposta do paciente ao CO2, o qual afeta a respiração após a operação. O uso de pré-medicação com opiáceos pode aumentar ou prolongar a depressão respiratória da alfentanila. Até o momento não existem dados que dêem aval ao uso de alfentanila em mulheres grávidas ou em crianças menores de 12 anos. Nas mulheres que amamentam, foram detectadas concentrações apreciáveis do fármaco no colostro, que se tornaram indetectáveis após 28 horas da intervenção.