AMPRENAVIR - Interações

O amprenavir é metabolizado principalmente no fígado através da enzima CYP3A4 do citocromo P-450. Portanto, os fármacos que compartilham esta via metabólica, ou que modificam a atividade da CYP3A4 poderiam alterar a farmacocinética do amprenavir, assim como este fármaco poderia modificar a farmacocinética de outros fármacos que compartilhem esta via metabólica. A terfenadina, a cisaprida ou o astemizol estão contraindicados em pacientes tratados com amprenavir. A administração conjunta poderia causar a inibição competitiva do metabolismo destes fármacos, acarretando graves arritmias cardíacas. Apesar de não haverem sido realizados estudos específicos, deverá evitar-se a administração de sedativos potentes metabolizados pela CYP3A4, tais como o triazolam e o midazolam, devido ao risco de sedação prolongada. O amprenavir não deverá ser administrado juntamente com derivados da ergotamina. Quando se emprega zidovudina, lamivudina, abacavir, indinavir, saquinavir ou nelfinavir em combinação com o amprenavir, não se considera necessário ajustar a dose deste último. A rifampicina reduz a concentração plasmática do amprenavir em cerca de 80%, e portanto estes fármacos não deverão ser administrados conjuntamente. A co-administração de amprenavir e rifabutina ocasiona aumento das concentrações plasmáticas desta última e, portanto, aumento das reações adversas, relacionadas a ela. Caso seja necessária a administração de rifabutina e amprenavir, recomenda-se reduzir a dose da rifabutina a pelo menos metade da dose indicada. Não se considera necessário ajustar a dose ao administrar cetoconazol ou claritromicina com amprenavir. Este fármaco pode causar aumento das concentrações plasmáticas de dapsona, eritromicina e itraconazol, sendo que, por sua vez, estas últimas podem aumentar a concentração do amprenavir no soro. O amprenavir pode aumentar as concentrações plasmáticas de benzodiazepínicos (alprazolam, diazepam e flurazepam), bloqueadores do canal de cálcio, (diltiazem, nicardipina, nifedipina e nimodipina) e agentes redutores do colesterol (atorvastatina, fluvastatina, lovastatina, pravastatina e sinvastatina). Alguns inibidores não-nucleosídeos da transcriptase reversa, tais como efavirenz e nevirapina, podem diminuir as concentrações do amprenavir no soro, enquanto a delavirdina produz o efeito oposto. Os estrógenos, os progestágenos e alguns glicocorticoides podem interagir com o amprenavir, porém não se possui informação suficiente para predizer a natureza dessas interações. A eficácia dos anticoncepcionais hormonais pode ser afetada pela administração conjunta com amprenavir; assim, recomenda-se que mulheres em idade reprodutiva adotem métodos anticoncepcionais alternativos confiáveis. O amprenavir pode aumentar a concentração plasmática de outros fármacos, entre os quais, clozapina, carbamazepina, cimetidina, loratadina e varfarina. A cimetidina e o ritonavir poderiam aumentar as concentrações plasmáticas do amprenavir. Em relação aos antiácidos, não se realizaram estudos específicos de co-administração com o amprenavir; não obstante, em função dos dados existentes para outros inibidores de proteases, é aconselhável não usar antiácidos simultaneamente com amprenavir, visto que poderia ocorrer interferência em nível de absorção. Recomenda-se observar o espaço de uma hora entre as administrações destes fármacos.