ANIDULAFUNGINA Informações da substância

Ações terapêuticas

Antifúngico. Antimicótico.

Propriedades

É um derivado semissintético equinocandia com propriedades antifúngicas por sua atividade inibidora da glucan-sintase, uma enzima que existe exclusivamente em fungos. Esta inibição enzimática impede a formação do 1,3-bD-glucan, componente essencial e indispensável da parede celular do fungo. Seu principal especto antimicótico é sobre o gênero Candida (albicans, glabrata, tropicalis, parapsilosis), mesmo contra cepas resistentes ao fluconazol. É administrado por via intravenosa, tem uma meia-vida de 0,5 a 1 hora, sua ligação a proteínas circulantes é alta (84%) e é eliminado pelas fezes em cerca de 30%.

Indicações

Infecção por Candida (esofágica, abdominal, peritoneal).

Posologia

São administrados por via intravenosa 200 mg no 1° dia, continuando com 100 mg até completar 14 dias. Na esofagite por Candida recomendam-se 100 mg de início e, a seguir, 50 mg de 7 a 14 dias. Para evitar reações alérgicas recomenda-se que a perfusão não supere a velocidade de 1,1 mg/minuto. Não há necessidade de ajustes na posologia em pacientes com insuficiência renal ou hepática.

Reações adversas

Foram observadas reações vinculadas à liberação de histamina como urticária, prurido, rash cutâneo, dispneia, hipotensão arterial.

Precauções

Deve-se monitorar a função hepática durante o tratamento. Na gravidez a relação risco/benefício deverá ser avaliada cuidadosamente. Desconhece-se se a anidulafungina é eliminada pelo leite materno.

Interações

Não foram observadas.

Contraindicações

Hipersensibilidade às equinocandinas.

Remédio que contêm Anidulafungina