AZTREONAM Informações da substância

Propriedades

O aztreonam é o primeiro membro de uma classe de antibióticos classificados como monobactâmicos. Estes agentes foram originalmente isolados da Chromobacterium violaceum. O aztreonam é um antibiótico bactericida totalmente sintético, com atividade contra um amplo espectro de germes patógenos aeróbios Gram-negativos. Os monobactâmicos têm um núcleo único monocíclico betalactâmico, que os faz diferentes estruturalmente de outros antibióticos betalactâmicos. A infusão simples durante 30 minutos de doses de 500 mg, 1 g e 2 g de aztreonam em indivíduos sãos produziu picos séricos de 54, 90 e 204 mg/ml, respectivamente, imediatamente após a administração. A meia-vida sérica de aztreonam é de 1 hora e 42 minutos em indivíduos com função renal normal, independente da via de administração e da dose utilizada. Aproximadamente 60 a 70% das doses IM ou IV foram recuperadas na urina em 8 horas. A excreção urinária de uma dose parenteral simples foi completada após 12 horas da administração. Nas fezes recuperaram-se aproximadamente 12% de uma dose radiomarcada simples IV e nas fezes e urina foi encontrado aztreonam sem alterações e produtos inativos da hidrólise do anel betalactâmico.

Indicações

Infecções complicadas e não complicadas do trato urinário, inclusive pielonefrite e cistite. Infecções das vias respiratórias baixas. Septicemias. Infecções de pele e fâneros, intra-abdominais e ginecológicas.

Posologia

As doses e as vias de administração IM ou IV devem ser determinadas com base na suscetibilidade dos microrganismos causais e a gravidade da infecção, bem como o estado do paciente. Em adultos, as infecções das vias urinárias são tratadas com 0,5 a 1 g cada 8 a 12 horas; as infecções generalizadas de gravidade moderada são tratadas com 1 a 2 g cada 8 a 12 horas e as infecções generalizadas graves são tratadas com 2 g a cada 6 a 8 horas. As doses máximas para adulto são de 8 g diários. Com relação ao uso pediátrico, ainda não foi estabelecida a segurança e eficiência do uso de aztreonam em lactentes e crianças.

Reações adversas

As reações locais como a flebite e a tromboflebite após a administração IV e o desconforto e inflamação no local da injeção após a administração IM ocorrem em 1,9 a 2,4% dos casos, respectivamente. As reações sistêmicas (consideradas em relação à administração de aztreonam ou de etiologia incerta) ocorrem como acidente em 1 a 1,3% dos casos e incluem diarreia, náuseas, vômitos e exantema.

Precauções

É recomendado monitorar a terapêutica em pacientes com deterioração das funções renais ou hepáticas. Se for usado aztreonam junto com antibióticos aminoglicosídeos, a função renal deve ser avaliada com frequência. O uso de antibióticos pode promover o crescimento de microrganismos não-suscetíveis, inclusive bactérias Gram-positivas e fungos. Não foi estabelecida a segurança e a eficácia no tratamento de crianças e lactentes.

Contraindicações

Hipersensibilidade ao aztreonam.

Remédio que contêm Aztreonam