BENZOíLA, PERóXIDO Informações da substância

Propriedades

É um agente queratolítico (ácido salicílico, ácido benzoico, enxofre) que possui efeito oxidante, irritante e antisséptico capaz de provocar a queda da camada córnea da pele ou reduzir sua espessura. O peróxido de benzoíla possui ação antibacteriana (tópica) e queratolítica. Sua eficácia contra o acne é atribuída a duas ações terapêuticas: 1) a ação antibacteriana sobre o Propionibacterium acnes, o agente bacteriano mais importante e frequente dos folículos sebáceos e comedões da pele acneica; e 2) a ação queratolítica. O mecanismo de ação antibacteriana deve-se à liberação de radicais livres tóxicos para os microrganismos. O peróxido de benzoíla pode possuir atividade seboestática, pois é frequente observar uma redução dos lipídeos superficiais e ácidos graxos livres da pele durante o tratamento. Absorve-se na pele, é metabolizado a ácido benzoico e posteriormente excretado como benzoato pela urina. Não há casos registrados de toxicidade sistêmica causada pelo fármaco. Apresenta-se em várias formas farmacêuticas e concentrações, habitualmente de 2,5% a 10%; mais concentradas para os casos mais graves ou rebeldes.

Indicações

Acne vulgar (observa-se a resposta após duas ou três semanas). Também é utilizado para o acne nódulo-cístico ou acne conglobata, mas a sua eficácia nessa condição é desconhecida. Pode ser empregado no tratamento do acne associado com antibióticos, ácido retinoico, enxofre e ácido salicílico.

Posologia

Aplicar topicamente a forma farmacêutica escolhida uma ou duas vezes por dia, após lavar a região afetada. A frequência e a duração da terapêutica serão adequadas pelo médico de cada paciente.

Superdosagem

Se ocorrer irritação excessiva, o tratamento deve ser suspenso. Compressas frias e corticosteroides tópicos podem contribuir para aliviar o paciente.

Reações adversas

Ocasionalmente pode provocar secura excessiva da pele (descamação, dessecação, eritema e edema) e sensibilização alérgica por contato. A dessecação excessiva aparece geralmente nas etapas iniciais do tratamento, mas é controlada reduzindo-se a frequência de aplicação. A sensibilização alérgica é pouco frequente (5%).

Precauções

Evitar o contato com olhos e mucosas. Uso externo. Pode ocorrer sensibilização cruzada com outros derivados do acido benzoico, como o cinamomo e alguns anestésicos tópicos. Suspender o tratamento se aparecer irritação grave. O peróxido de benzoíla não é considerado carcinogênico; mesmo assim, é mutagênico em ensaios realizados com bactérias e carcinogênico em animais altamente suscetíveis. Por não existirem provas conclusivas recomenda-se não utilizar em gestantes ou durante a lactação a menos que o benefício para a mãe supere o risco potencial para o feto. A segurança e a eficácia em crianças menores de 12 anos não foram estabelecidas.

Contraindicações

Hipersensibilidade ao fármaco.

Remédio que contêm Benzoíla, peróxido