BEVACIZUMABE Informações da substância

Ações terapêuticas

Anticorpo monoclonal recombinante humanizado que inibe o fator de crescimento endotelial vascular (VEGF). Antineoplásico.

Propriedades

Trata-se de um anticorpo monoclonal recombinante humanizado que inibe a atividade biológica do fator de crescimento endotelial vascular humano, tanto in vitro como in vivo. O bevacizumabe une-se ao VEGF interferindo com sua interação em nível de receptores de superfície (Flt-1 e KDR) das células endoteliais. Em modelos experimentais de angiogênese in vitro, a interação de VEGF com seus receptores celulares induz a proliferação de células endoteliais e formação de novos vasos sangüíneos. A administração de bevacizumabe a roedores atímicos com xenotransplante de tumor de cólon causou uma diminuição do crescimento microvascular e inibição da progressão da enfermidade metastática. Após aplicação de doses de 1 a 20 mg/kg semanais, bissemanais ou trissemanais, o tempo de meia-vida do bevacizumabe foi calculado em cerca de 20 dias (11-50 dias); o tempo estimado para alcançar o estado de equilíbrio no plasma é de aproximadamente 100 dias. A eliminação de bevacizumabe varia segundo o peso, a idade e o tamanho do tumor. Até o momento não foram realizados estudos farmacocinéticos em pacientes com insuficiência renal e/ou hepática.

Indicações

Carcinoma metastásico de cólon e reto.

Posologia

A dose recomendada é de 5 mg/kg por infusão IV lenta (durante 90 minutos) a cada 14 dias. Em pacientes submetidos a cirurgia, o tratamento deverá ser iniciado 28 dias após, e o nível de acumulação após 10 mg/kg a cada 2 semanas foi de 2,8. Caso se observe boa tolerância à perfusão IV, as doses seguintes poderão ser administradas durante 30 ou 60 minutos.

Reações adversas

Durante o tratamento foram observados constipação, vômitos, hemorragias, deiscência da ferida cirúrgica, perfuração intestinal, comparado com o placebo. Podem ocorrer hipertensão arterial ou agravamento de uma hipertensão preexistente, proteinúria, insuficiência cardíaca congestiva, diarreia, astenia, leucopenia, epistaxe.

Precauções

O tratamento com bevacizumabe não deverá ser iniciado antes de decorridos 28 dias da intervenção cirúrgica. A ferida cirúrgica deverá estar fechada e cicatrizada antes de iniciar a perfuração intravenosa, em função da possibilidade de interferência no processo de cicatrização ou ocorrência de complicações da mesma (abscesso, deiscência, hemorragia). Caso se apresente hipertensão grave o tratamento deverá ser suspenso com introdução de medicação anti-hipertensiva (beta-bloqueadores, inibidores da enzima de conversão de angiotensina (IECA), antagonistas do cálcio etc.), acompanhados de controle frequente e periódico da pressão arterial. Caso ocorra proteinúria ( > 1g), deverão ser realizados controles da urina periódicos. A inocuidade de seu uso durante a gravidez e a amamentação não foi estabelecida.

Interações

Não há registro de interações significativas.

Contraindicações

Hipersensibilidade ao fármaco.

Remédio que contêm Bevacizumabe