CáLCIO, GLICONATO Informações da substância

Ações terapêuticas

Suplemento de cálcio. Anti-hipocalcêmico.

Propriedades

O cálcio é essencial para a integridade funcional dos sistemas nervoso, muscular e esquelético. Intervém na função cardíaca normal, renal, respiração, coagulação sanguínea e na permeabilidade capilar e da membrana celular. Ajuda a regular a liberação e armazenamento de neurotransmissores e hormônios; a captação e união de aminoácidos; a absorção de vitamina B12 e a secreção de gastrina. A fração principal do cálcio está na estrutura esquelética, principalmente como hidroxiapatita, pequenas quantidades de carbonato cálcico e fosfatos cálcicos amorfos. O cálcio dos ossos está em constante intercâmbio com o plasmático. Quando existe um distúrbio no equilíbrio de cálcio, por deficiência dietética ou outras causas, as reservas de cálcio dos ossos podem ser utilizadas para cobrir necessidades agudas do organismo. Um quinto ou um terço da dose administrada por via oral é absorvida no intestino delgado, dependendo da presença de metabólitos da vitamina D, pH luminal, quantidade de proteínas na dieta e de fatores dietéticos (cálcio ligado a fibras, fitatos ou oxalatos). Sua união às proteínas é moderada (45%). É eliminado por via fecal (80%).

Indicações

Tratamento da hipocalcemia aguda (tetania hipocalcêmica neonatal, tetania por deficiência paratireóidea, deficiência de vitamina D e alcalose). Tratamento da depleção de eletrólitos, coadjuvante no tratamento da reativação cardíaca, tratamento da hiperpotassemia, hipermagnesemia.

Posologia

A administração de suplementos de cálcio não deve excluir o emprego de outras medidas destinadas a corrigir a causa subjacente da depleção de cálcio. As formas orais são melhor administradas em 3 ou 4 doses diárias, de 1 a 1½ hora após a ingestão de alimentos. Os sais parenterais de cálcio são administrados por injeção IV lenta. O gliconato de cálcio contém 90 mg de íon cálcio por grama. Comprimidos: dose usual para adultos como anti-hipocalcêmico: 11 g (1 g de íon cálcio)/dia, em várias doses. Crianças: 500 a 720 mg/kg/dia em várias doses. Ampolas: como restaurador de eletrólitos ou anti-hipocalcêmico: via IV, 970 mg, lentamente, não ultrapassando 5 ml por minuto. Dose pediátrica: via IV, 200 a 500 mg como dose única, de forma lenta. Exsanguinotransfusões em recém-nascidos: via IV, 97 mg após cada 100 ml de sangue citratado transfundido.

Reações adversas

Em geral, aparecem com doses maiores que as recomendadas (mais de 1.000 a 1.500 mg/dia), em tratamentos prolongados ou em pacientes com disfunção renal. De incidência mais frequente: enjoos, sonolência, batimentos irregulares, náuseas, vômitos, erupção cutânea, sudoração, sensação de formigamento. Raramente é observada debilidade, micção dolorosa ou difícil (cálculos renais calcificados). Os sinais iniciais de hipercalcemia são constipação, cefaleia contínua, anorexia, sabor metálico, cansaço ou debilidade não-habituais. Os sinais tardios de hipercalcemia são: confusão, hipertensão, polidipsia, irritabilidade, dor muscular ou óssea, poliuria, erupção cutânea ou prurido.

Precauções

Evitar o uso simultâneo com outros medicamentos que contenham cálcio, fosfatos, magnésio ou vitamina D, salvo recomendação médica. Deverá ser evitado o consumo excessivo de bebidas alcoólicas, tabaco ou bebidas que contenham cafeína. Em pacientes com idade avançada diminui a absorção intestinal de cálcio, portanto a dose de suplemento de cálcio deverá ser elaborada em função disto.

Interações

O uso excessivo de álcool, tabaco ou cafeína diminui a absorção de cálcio. O gliconato de cálcio pode antagonizar o efeito da calcitonina no tratamento da hipercalcemia. Os estrogênios aumentam a absorção de cálcio; o uso simultâneo com glicosídeos digitálicos pode aumentar o risco de arritmias cardíacas. Os diuréticos tiazídicos reduzem a excreção de cálcio e o uso simultâneo de fenitoína diminui a biodisponibilidade de ambos os fármacos, devido à possível formação de complexos não-absorvíveis. Pode diminuir a absorção de tetraciclinas orais. A ingestão excessiva de vitamina A (mais de 5.000UI/dia) pode estimular a perda de osso e contrastar os efeitos dos suplementos de cálcio, e o uso simultâneo com grandes doses de vitamina D pode aumentar a absorção intestinal de cálcio.

Contraindicações

Hipercalcemia. Hipercalciúria. Cálculos renais de cálcio. Disfunção renal crônica. Sarcoidose. Toxicidade digitálica. Deverá ser avaliada a relação risco-benefício nos quadros de desidratação, diarreia ou má-absorção gastrintestinal crônica, disfunção cardíaca.