CLIDíNIO - Precauções

Usar com precaução nas pessoas de idade avançada e em pacientes com neuropatias autonômicas, doença renal ou hepática, colite ulcerosa (podem-se apresentar-se íleo paralítico e megacolo tóxico), hipertireoidismo, coronariopatias, insuficiência cardíaca congestiva, arritmias cardíacas, hipertensão arterial, hipertrofia prostática, hérnia hiatal. A obtenção do efeito desejado geralmente vem acompanhada de algum efeito adverso. O paciente que recebe clidínio deve abster-se de dirigir maquinaria pesada e automóveis. Em presença de altas temperaturas ambientais pode produzir febre e golpe de calor. O surgimento de diarreia pode ser um sintoma que antecede a obstrução intestinal. O clidínio não deve ser utilizado em pacientes com suspeita de obstrução intestinal. Por não existirem provas conclusivas recomenda-se não usar em mulheres grávidas a menos que o benefício para a mãe supere o risco potencial para o feto. A amamentação deve ser suspensa. A segurança e a eficácia do fármaco em crianças não foram estabelecidas.