CLORANFENICOL - Interações

O uso simultâneo com mielodepressores e radioterapia pode aumentar os efeitos depressores sobre a medula óssea. O uso junto com anticonvulsivantes do grupo das hidantoínas pode aumentar seus efeitos tóxicos por inibição da atividade enzimática microssômica. Não recomenda-se a associação com eritromicina ou lincosamídeos (lincomicinas), visto que o cloranfenicol pode deslocar ou interferir com sua união às subunidades 50S dos ribossomas bacterianos e assim antagonizar os efeitos destes antibióticos. A administração com hipoglicemiantes orais pode potencializar o efeito destes últimos devido a um deslocamento de sua união a proteínas séricas. O cloranfenicol pode aumentar a meia-vida do dicumarol e da fenitoína por inibição das enzimas que metabolizam estes fármacos.