ENTACAPONA Informações da substância

Ações terapêuticas

Antiparkinsoniano.

Propriedades

É um inibidor periférico da catecol-O-metiltransferase (COMT) estruturalmente relacionado com a tolcapona. Diferentemente da entacapona, a tolcapona tem ações de caráter misto, periférico e central. A entacapona não parece afetar de modo significativo a produção mitocondrial de energia, fenômeno que ocorre com a tolcapona. É precisamente devido a esta interferência metabólica que se atribui a maior toxicidade (hepatotoxicidade) da tolcapona. Quando a levodopa, que constitui o componente fundamental do tratamento antiparkinsoniano, é administrada conjuntamente com um inibidor periférico da DOPA-descarboxilase (carbidopa, benserazida), a principal via metabólica no nível periférico passa a ser precisamente a COMT, que transforma a levodopa em 3-O-metildopa. De fato, nos tratamentos crônicos com levodopa acumulam-se grandes quantidades de 3-O-metildopa (que tem uma meia-vida de eliminação muito superior à da própria levodopa). Esta 3-O-metildopa é capaz de competir com a levodopa no nível de sistema de transporte ativo localizado na barreira hematoencefáelica (astrócitos), reduzindo assim a penetração da levodopa no SNC e, com isto, diminuindo sua capacidade de transforamar-se em dopamina, fulcro do efeito antiparkinsoniano. Estima-se que a adição ao tratamento com levodopa/carbidopa aumenta em cerca de 25% a 50% a biodisponibilidade da levodopa. A entacapona produz uma inibição máxima da ordem de 82% da COMT periférica (com uma dose de 800 mg), reduzindo a área sob a curva de 3-O-metildopa. Alguns estudos preliminares indicaram que a associação de entacapona com selegilina (inibidor da MAO-B) produz efeitos aditivos sobre as flutuações da resposta à levodopa. Há dados clínicos indicando que a entacapona aumenta a duração da resposta clínica à levodopa em fases avançadas da doença de Parkinson, em especial naqueles com flutuações on-off.

Indicações

Tratamento coadjuvante da doença de Parkinson.

Posologia

Via oral, 600 mg/dia a 1.200 mg/dia.

Superdosagem

Suspender a administração do fármaco e da levodopa. Realizar lavagem gástrica e tratamento sintomático de suporte.

Precauções

No início da administração pode haver ocorrência de discinesia devida ao aumento da disponibilidade da levodopa. Realizar monitoração das enzimas hepáticas. Evitar a administração durante a gestação e durante a amamentação.

Interações

Levodopa: aumento do efeito farmácológico; combinação útil no tratamento da doença de Parkinson. Não se dispõem de ensaios de administração conjunta com agonistas dopaminérgicos (como a bromocriptina) ou inibidores da MAO-B (selegilina).

Contraindicações

Hipersensibilidade ao fármaco.

Remédio que contêm Entacapona