FOLíNICO, áCIDO Informações da substância

Ações terapêuticas

Aporte de folatos.

Propriedades

Usado na forma de folinato de cálcio, a leucovorina é um dos vários derivados ativos e quimicamente reduzidos do ácido fólico; portanto, não deve ser reduzida pela enzima di-hidrofolatorredutase para participar nas reações que utilizam folatos como fonte de estruturas carbonadas. A administração de leucovorina pode fazer oposição aos efeitos terapêuticos tóxicos dos antagonistas do ácido fólico, tais como o metotrexato, que inibe a di-hidrofolatorredutase. Ao contrário, a leucovorina pode aumentar os efeitos terapêuticos e tóxicos das fluoropirimidinas usadas na terapêutica de câncer, como o 5-fluorouracil. Uma vez no organismo, a leucovorina converte-se com rapidez em outro folato reduzido, o 5, 10-metilentetraidrofolato, que estabiliza a ligação do ácido fluorodesoxiuridílico à timidilatossintase, o que produz a inibição desta enzima. Após a administração IV de 25 mg de leucovorina, os folatos reduzidos totais no soro alcançam um pico médio de 1.259 ng/ml em aproximadamente 10 minutos. A meia-vida de eliminação para os folatos reduzidos totais foi de 6 horas e 12 minutos. Após a administração de uma dose de 25 mg por via IM, o pico sérico médio de folatos reduzidos totais foi de 436 ng/ml, que foi alcançado aos 52 minutos. A meia-vida de eliminação foi similar à verificada com a dose IV. Após a administração oral de 25 mg de leucovorina, o pico sérico médio de folatos reduzidos totais foi de 393 ng/ml, que foi alcançado em 2 horas e 21 minutos. A meia-vida de eliminação foi de 5 horas e 42 minutos.

Indicações

O resgate com leucovorina é indicado após altas doses de metotrexato no tratamento do osteossarcoma. Anemias megaloblásticas devidas à deficiência de ácido fólico, quando não é possível utilizar a via oral. Em combinação com o 5-fluorouracila, para prolongar a sobrevivência no tratamento paliativo dos pacientes com câncer colorretal.

Posologia

Câncer color-retal avançado: 200 mg/m2 de leucovorina por via IV lenta (mínimo de 3 minutos) seguidos por 5-fluorouracila, 370 mg/m2 IV; ou 20 mg/m2 de leucovorina por via IV seguidos por 5-fluourouracila, 425 mg/m2 IV; o tratamento será repetido diariamente durante 5 dias. Dessa mesma forma, estes períodos de 5 dias deverão ser repetidos a cada 28 dias. O resgate com leucovorina será feito em doses de 15 mg a cada 6 horas, 10 doses, começando 24 horas após iniciada a infusão de metotrexato. Na presença de toxicidade gastrintestinal, náuseas ou vômitos, a leucovorina deve ser administrada de forma parenteral.

Reações adversas

Foram relatadas sensibilidades alérgicas que incluíram reações anafilatoides e urticária.

Precauções

A administração parenteral é preferível à oral. Os pacientes tratados com a combinação de leucovorina e 5-fluorouracila deverão efetuar a recontagem hemática diferencial e de plaquetas antes de cada tratamento. Gravidez e lactação.

Interações

O ácido fólico em grandes quantidades pode fazer oposição aos efeitos antiepilépticos do fenobarbital, da fenitoína e da primidona.

Contraindicações

A leucovorina é contraindicada na anemia perniciosa e em outras anemias megaloblásticas secundárias na ausência de vitamina B12.

Remédio que contêm Folínico, ácido