GALANTAMINA - Efeitos secundários

Os sintomas gastrintestinais são os mais frequentes: dor abdominal (5%), diarreia (até 12%), dispepsia (5%), náuseas (13%), vômitos (6%). A maioria destes efeitos adversos ocorreram durante o período de incremento de dose. Os pacientes portadores de Alzheimer e outro tipo de demências com frequência emagrecem; a anorexia e a perda de peso têm sido associadas aos inibidores da colinesterase. Comprovou-se ocorrência de anorexia em 7% a 9%, e emagrecimento em aproximadamente 5% dos indivíduos tratados nos ensaios clínicos, o que constitui o dobro da frequência atribuível ao placebo. Os efeitos relatados em nível do sistema nervoso central compreendem: enjoos (9%), cefaleia (8%) e tremores (3%). Os eventos psiquiátricos foram: depressão (7%), fadiga (5%), insônia (5%), sonolência (4%). Os usuários devem ser informados sobre ter cautela quando dirigem veículos, utilizem maquinaria ou realizem tarefas que requeiram alerta mental até que seja corretamente ponderado o efeito da medicação. O incremento no tono vagal pode produzir hipotensão, bradicardia ou síncope (2%).