GENFIBROZILA Informações da substância

Propriedades

A genfibrozila reduz as concentrações plasmáticas de triglicerídeos (lipoproteínas de densidade muito baixa VLDL) e também, em forma suave, as de colesterol (lipoproteínas de baixa densidade LDL). O mecanismo não é conhecido por completo, porém pode estar relacionado com a inibição da lipólise periférica, diminuição da extração hepática de ácidos graxos livres, que reduz a produção hepática de triglicerídeos; inibição da síntese de apoproteína portadora de VLDL, que também diminui a produção de VLDL, e reduz a incorporação de ácidos graxos de cadeia grande nos triglicerídeos novamente formados; aceleram-se a reabsorção e a eliminação hepática do colesterol e aumenta-se a excreção de colesterol nas fezes. É bem absorvido no trato gastrintestinal. Metaboliza-se no fígado e é eliminado por via renal (70%) e fecal (6%). A meia-vida em dose única é de 1,5 hora e, em doses múltiplas 1,3 hora. A redução das concentrações de VLDL no plasma fica evidente em 2 a 5 dias.

Indicações

Coadjuvante do tratamento em hiperlipidemia primária grave (do tipo IV) e ao existir um risco significativo de doença arterial coronária que não responda a dieta e outras medidas. Seu emprego está limitado às hiperlipidemias do tipo II e III, devido a seu efeito reduzido sobre as concentrações de colesterol. Não é útil no tratamento da hiperlipidemia do tipo I.

Posologia

Dose usual para adultos: 1,2 g ao dia em 2 doses, 30 minutos antes do desjejum e do jantar. Não foi estabelecida a dose pediátrica. Se após 3 meses de tratamento a resposta for inadequada, deve-se interromper a terapêutica com genfibrozila, sendo recomendado seguir uma dieta com baixo teor de lipídios.

Reações adversas

Devido à semelhança química e farmacológica com o clofibrato, podem aparecer efeitos similares a longo prazo. São de incidência mais frequente (10%): mialgias, diarreia, cãibras musculares, náuseas, vômitos, erupção cutânea, febre e calafrios.

Precauções

É importante não ingerir nem mais nem menos que a dose indicada. Ao avaliar a eficácia do tratamento, devem-se ter presentes as variações estacionais nos níveis de lipídios (mais elevados no inverno, menores na primavera e outono). Dado que aumenta a excreção de colesterol na bile, dever-se-á interromper o tratamento se aparecerem cálculos biliares. Recomenda-se avaliar periodicamente a função hepática e suspender o fármaco se persistirem alterações [aumento de transaminase glutâmico-oxalacético (TGO), AST transaminase glutâmico-pirúvico (TGP), ALT, LDH e fosfatase alcalina]. No início do tratamento podem ocorrer diminuição da hemoglobina, leucócitos e hematócrito, que se estabilizam no decorrer da terapêutica.

Interações

O uso simultâneo com anticoagulantes derivados da cumarina aumenta o efeito destes e pode diminuir o do ácido quenodexosicólico, posto que aumenta a saturação de colesterol na bile.

Contraindicações

Cirrose biliar primária; a relação risco-benefício deverá ser avaliada em doenças da vesícula biliar, cálculos biliares, disfunção hepática ou renal grave.

Remédio que contêm Genfibrozila