GLICAMETACINA - Reações adversas

As reações neurológicas mais comuns são cefaleias, tonturas, depressão, vertigem e fadiga; com menor frequência: confusão mental, ansiedade, sonolência, convulsões, coma, neuropatia periférica, fraqueza muscular e, raramente, parestesias e piora da epilepsia e do parkinsonismo. Sintomas gastrintestinais: náuseas, anorexia, vômitos, mal-estar epigástrico, constipação e diarreia. Podem ocorrer úlceras no esôfago, estômago, duodeno ou intestino delgado; hemorragia gastrintestinal. Muito raramente observaram-se estomatite, flatulências ou hemorragias de origem sigmoide. Hepáticas: raramente foram observados quadros de hepatite ou icterícia relacionados com a administração de glicametacina. Cardiovasculares ou renais. Pouco frequentes: edema, elevação da pressão arterial, taquicardia, dor precordial, arritmia, hipotensão, insuficiência cardíaca congestiva. Reações de hipersensibilidade, com sinais de erupções cutâneas, dermatites esfoliativas, prurido, urticária, transtornos respiratórios agudos, dispneia. Hematológicas: leucopenia, petéquias, púrpura, trombocitopenia. Outras reações: distúrbios da audição, proteinúria, nefrite intersticial, hiperglicemia, glicosúria, visão turva e dor orbitária ou periorbitária. Broncoconstrição em pacientes asmáticos sensíveis ao ácido acetilsalicílico.