GLICOSAMINA Informações da substância

Ações terapêuticas

Terapêutica da artrose.

Propriedades

É uma molécula natural utilizada na biossíntese dos proteoglicanos que integram a matriz da cartilagem articular e o ácido hialurônico presente no líquido sinovial. Na artrose se observa uma redução nos níveis locais de glicosamina, alterando a produção normal dos componentes citados. O mecanismo responsável da falta de glicosamina envolve tanto a diminuição da permeabilidade da cápsula articular (devido ao processo inflamatório), como alterações enzimáticas nas células da membrana sinovial e da cartilagem (falha na conversão de glicose a glicosamina). O aporte exógeno de glicosamina na artrose estimula a produção de proteoglicanos, o trofismo das superfícies articulares, a síntese de ácido condroitinsulfônico e favorece a calcificação do osso.

Indicações

Artrose (primária e secundária). Osteocondroartrose. Espondilose. Condromalasia rotular. Periartrite escápulo-umeral.

Posologia

Via oral: 1,5 g por dia, durante 6 semanas.

Reações adversas

Não se conhecem.

Interações

Tetraciclinas: a glicosamina administrada em forma conjunta favorece sua absorção. Cloranfenicol e penicilina: a glicosamina administrada em forma conjunta reduz a absorção desses fármacos.

Contraindicações

Hipersensibilidade à glicosamina. Gravidez. Fenilcetonúria.

Remédio que contêm Glicosamina