GLIPIZIDA - Posologia

Não existe um regime fixo de dose. A glicemia do paciente deve ser determinada de maneira periódica para fixar a dose mínima eficaz, assim como para detectar o fracasso do tratamento. Em geral, deve ser administrada 30 minutos antes dos alimentos, para obter uma maior redução da hiperglicemia pós-prandial. Dose inicial: 5 mg/dia, 30 minutos antes do desjejum ou da refeição. Em pacientes idosos, com hepatopatias ou em diabéticos leves, deverá iniciar-se com 2,5 mg. De acordo com a resposta, os ajustes de dose serão de 2,5 a 5 mg. A dose inicial máxima recomendada é de 15 mg. Dose de manutenção: a longo prazo podem-se administrar doses totais diárias superiores a 30 mg, fracionadas em 2 doses. A dose máxima diária de manutenção é de 40 mg. Doses superiores a 15 mg deverão ser fracionadas. Em pacientes idosos ou debilitados, diminuir a dose. Se o paciente era tratado com insulina, ao passar para glipizida deve-se considerar: se a necessidade diária de insulina era 20 UI, pode ser suspensa e inicia-se com glipizida nas doses recomendadas; em pacientes com doses de insulina superiores a 20 UI, reduzir-se-ão 50% e deverá ser iniciada a glipizida nas doses habituais. Conforme a resposta do paciente, a dose de insulina continuará sendo reduzida.