HIPéRICO (HIPERICUM) Informações da substância

Ações terapêuticas

Timoléptico. Antidepressivo.

Propriedades

Farmacologia clínica: o mecanismo de ação do hipérico com timolépico ainda não foi esclarecido. Evidências experimentais sugerem que a hipericina, um dos componentes do extrato de Hypericum, inibe a recaptura das monoaminas serotonina e noradrenalina. Além disto, alguns estudos sugerem existência de um efeito inibidor da monoaminoxidase (MAO), embora esta inibição ocorra com concentrações de hipericina mais altas do que aquelas alcançadas com a administração da dose recomendada. O efeito antidepressivo é percebido a partir da segunda semana de tratamento.

Indicações

Distimia. Depressão de intensidade leve ou moderada, inclusive associada a sintomas neurovegetativos.

Posologia

Via oral: inicialmente, 600 a 900 mg ao dia, administrados juntamente com as refeições. Durante o tratamento de manutenção a dose pode ser reduzida a 300 mg ao dia.

Superdosagem

Em caso de superdose do produto, recomenda-se evitar exposição ao sol ou à radiação ultravioleta e administrar tratamento sintomático.

Reações adversas

Com maior frequência são observados: náuseas, vômitos, diarreia, constipação, enjoos, dores abdominais, ansiedade, secura de boca, confusão, sedação e desânimo. A manifestação mais grave associada ao uso do extrato de Hypericum é a fotossensibilização, que pode favorecer a aparição de queimaduras nos pacientes expostos ao sol, nos quais a proteção usual torna-se insuficiente; este efeito é mais frequente em indivíduos de pele clara.

Precauções

A duração mínima do tratamento para obter a atividade antidepressiva plena deveria ser de 4 a 6 semanas. Em geral, recomenda-se a manutenção da terapia com antidepressivos por períodos não-inferiores a seis meses. A informação sobre interações com outros fármacos é escassa, embora seja aconselhável vigiar toda associação com fármacos fotossensibilizantes. Desaconselha-se a exposição solar dos pacientes durante tratamento com Hypericum. Caso a exposição não possa ser evitada, sugere-se o uso de protetores solares. Não se recomenda a utilização deste medicamento em pacientes com antecendentes de câncer de pele ou queratoses solares. Não se aconselha seu uso em pediatria.

Interações

O uso simultâneo com inibidores da monoaminoxidase (IMAO) poderia causar a manifestação de síndrome serotoninérgica (confusão, ataxia, espasmos musculares, sudação, ruborização e instabilidade autonômica), razão pela qual esta associação é contraindicada. Caso o paciente esteja sob terapêutica com um IMAO, como a tranilcipromina, e for decidido iniciar a administração do extrato de Hypericum, deve-se aguardar um período de 2 semanas. O mesmo procedimento deve ser observado quando o paciente está sob tratamento com extrato de Hypericum e for decidido alterar o tratamento para um IMAO. Recomenda-se evitar sua utilização juntamente com inibidores seletivos da recaptura de serotonina. O fármaco não deveria ser usado em pacientes que estejam recebendo psoralenos isoladamente ou como parte de terapêutica PUVA, nem naqueles tratados com retinoides naturais ou sintéticos (tretinoína, isotretinoína ou etretinato), em função do efeito fotossensibilizante aditivo. Não se recomenda sua utilização com fármacos simpatomiméticos (descongestionantes nasais, antigripais).

Contraindicações

Hipersensibilidade ao extrato de hipérico ou à hipericina. Gravidez. Lactação. Pacientes sob tratamento com antidepressivos tipo IMAO. Pacientes sob tratamento com medicações fotossensibilizantes (psoralenos ou retinoides).

Remédio que contêm Hipérico (Hipericum)