IPRATRóPIO, BROMETO Informações da substância

Ações terapêuticas

Broncodilatador.

Propriedades

Trata-se de um derivado amônia quaternária da atropina. A broncodilatação é produzida mais como efeito local e limitado ao lugar da ação que como efeito sistêmico. Atua por inibição competitiva dos receptores colinérgicos do músculo liso brônquico. Este efeito contraria a ação da acetilcolina no seu receptor de membrana e bloqueia a ação broncorrestritiva dos impulsos vagais eferentes. Pode também inibir a ação dos mediadores químicos potencializada pela acetilcolina, mediante ao bloqueio dos receptores colinérgicos da superfície dos matócitos. A absorção sistêmica é mínima; não atravessa a barreira hematoencefálica. Pequena quantidade da droga que pode ser absorvida é metabolizada no fígado. O início de sua ação fica evidente em 5 a 15 minutos e dura ao redor de 3 a 4 horas. É eliminada por via fecal, 90% de forma inalterada.

Indicações

Broncospasmo associado com doença pulmonar obstrutiva crônica, incluindo bronquite crônica e enfisema pulmonar. Coadjuvante no tratamento da asma brônquica.

Posologia

Pode ser utilizada simultâneamente com agonistas beta: teofilina, cromoglicato dissódico. Dose para inalação: adultos 18 a 40 mg, ou 1 a 2 inalações 3 ou 4 vezes ao dia, deixando passar ao menos 4 horas entre uma e outra inalação; em pacientes geriátricos a dose pode ser menor. Dose máxima: 12 inalações ao dia. Crianças menores de 12 anos: a dose não foi estabelecida.

Reações adversas

Geralmente, não aparecem efeitos adversos com doses terapêuticas dado as baixas concentrações sanguíneas. Pode aparecer tosse ou secura na garganta, cefaleias, tonturas, nervosismo, náuseas, visão turva, congestão nasal, tremores, cansaço ou debilidade não habituais, erupção cutânea ou urticária e estomatite.

Precauções

Não utilizar aerossóis para inalação de agonistas beta e de ipratrópio em sequência rápida, e tampouco de corticóides ou cromoglicato dissódico. Não foram reportados problemas relacionados com pacientes idosos.

Interações

O uso sequencial com ipratrópio de aerossóis com corticoides, cromoglicato dissódico ou simpaticomiméticos aumenta o risco de toxicidade por fluorocarbono. O uso simultâneo com outros antimuscarínicos pode produzir efeitos aditivos.

Contraindicações

A relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de obstrução do colo vesical, hipertrofia prostática, glaucoma de ângulo fechado e retenção urinária.

Remédio que contêm Ipratrópio, brometo