MOMETASONA Informações da substância

Ações terapêuticas

Glicocorticoide.

Propriedades

Trata-se de um moderno glicocorticoide sintético de uso tópico local sobre a pele, como creme, unguento, loção; na mucosa nasal, em forma de aerossol ("spray" nasal); para uso bronquial em cápsulas contendo pó para inalação (com aplicador). Caracteriza-se por apresentar uma potente atividade anti-inflamatória, antiexsudativa e vasoconstritora. Quando aplicada localmente, sua absorção sistêmica é discreta (5%). O mecanismo de ação é similar ao dos demais corticosteroides.

Indicações

Na pele: dermatites e dermatoses. Na mucosa nasal: rinite alérgica (sazonal ou perene), sinusite, polipose nasal. As cápsulas para inalação estão indicadas como tratamento de manutenção em pacientes com asma persistente que requerem corticoesteroides para controlar a inflamação das vias respiratórias.

Posologia

Na pele: aplicar uma fina camada uma vez ao dia. No nariz: 2 pulverizações do "spray" nasal em cada fossa nasal uma vez ao dia (200 mg). Em casos rebeldes ou graves, a dose pode ser duplicada (400 mg). Uma vez controlado o quadro, recomenda-se reduzir a dose. Cada pulverização do "spray" nasal aquoso contém 100 mg de furoato de mometasona em suspensão (equivalente a 50 mg de monoidrato). Via inalatória: Para adultos e adolescentes com idade superior a 12 anos a dose de referência é de 200 a 400 mg/dia. A dose deve ser individualizada e titulada até chegar à menor dose efetiva que consiga controlar os sintomas da asma.

Reações adversas

Na pele: ardor, prurido, secura, foliculite, hipopigmentação, erupções acneiformes, atrofia, estrias e fissuras. No nariz: epistaxis, cefaleia, ardor ou irritação nasal, faringite. Via inalatória: candidíase oral, faringite, cefaleia e disfonia.

Precauções

O "spray" nasal e a via inalatória não devem ser usados em presença de uma infecção (bacteriana, micótica ou viral) local nasal e/ou das vias respiratórias. Caso ocorra desenvolvimento de uma infecção local em nariz ou faringe por Candida albicans, o tratamento deve ser suspenso e deve ser instaurada uma terapia local ou sistêmica adequada. O uso prolongado do corticoide pode favorecer sua absorção sistêmica e causar supressão reversível do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal.

Contraindicações

Hipersensibilidade ao fármaco. Infecção da mucosa nasal, feridas ou escaras não cicatrizadas.