OSELTAMIVIR Informações da substância

Ações terapêuticas

Antiviral seletivo contra o vírus da Influenza.

Propriedades

O oseltamivir é uma pró-droga que se transforma em um metabólito ativo no organismo. Seu mecanismo de ação se baseia na inibição seletiva das neuraminidases do vírus da gripe. Estas enzimas são glicoproteínas que se encontram no envelope do vírus e atuam liberando os vírions das células infectadas, favorecendo assim a sua disseminação. O fármaco ativo derivado do oseltamivir in vivo inibe a atividade das neuraminidases dos vírus da gripe de ambos os tipos: A e B. Administrado poucas horas após instalados os sintomas da gripe, o oseltamivir diminui a duração dos mesmos, e quando é administrado a pacientes com gripe confirmada, diminui a gravidade e a incidência de infecções bacterianas que resultam em bronquite, pneumonia e sinusite. Não modifica a resposta imune celular ou humoral contra este vírus, nem contra outros antígenos não-relacionados (vacinas contra vírus inativos). O oseltamivir é absorvido completamente por via oral e se transforma em seu metabólito ativo por ação das esterases intestinais e hepáticas. A absorção do fármaco não é alterada pelas refeições. O metabólito ativo tem ampla distribuição, sendo encontrado nos pulmões, mucosa nasal, ouvido médio e traqueia. As concentrações plasmáticas do metabólito ativo já são detectáveis aos 30 minutos, alcançando seus valores máximos entre 2 e 3 horas após a administração, e superam amplamente (mais do que 20 vezes acima) as concentrações séricas da pró-droga. Estima-se que cerca de 75% de uma dose por via oral alcançe a circulação geral na forma do metabólito ativo, sendo suas concentrações proporcionais às doses administradas. O oseltamivir é totalmente convertido ao seu metabólito ativo sendo que este, por sua vez, não sofre metabolização e é eliminado principalmente através da urina (90 %) e em menor proporção pelas fezes.

Indicações

Infecção pelo vírus Influenza. Enfermidade gripal em adultos e crianças maiores de 12 anos.

Posologia

Dose oral, 75 mg duas vezes ao dia, durante 5 dias. O tratamento deve ser iniciado dentro dos dois primeiros dias seguintes à instalação dos sintomas de gripe. Não é necessário modificar a dose em pacientes com idade avançada ou com insuficência hepática. Na insuficiência renal com um clearance de creatinina inferior a 30 ml/min recomenda-se empregar 75 mg uma vez ao dia durante 5 dias.

Superdosagem

Até o momento não foram registrados casos de superdose. A previsão da sintomatologia nessa eventualidade aponta para náuseas ou vômitos. Nestes casos estaria indicado tratamento sintomático e de suporte. Hidratação parenteral.

Reações adversas

As reações adversas são pouco frequentes e compreendem vômitos, náuseas, insônia, cefaleia e dores abdominais. Menos frequentemente observam-se: diarreia, enjoos, fadiga, congestão nasal, dores de garganta, tosse e vertigem.

Precauções

O metabólito ativo do oseltamivir é eliminado principalmente por via renal, razão pela qual recomenda-se modificar a dose administrada nos pacientes com insuficiência renal (clearance de creatinina inferior a 30 ml/min). Não é necessário ajustar a dose em idosos ou em pacientes com insuficiência hepática. Como não foram realizados estudos suficientes em mulheres grávidas, recomenda-se administrar apenas quando os benefícios esperados para a mãe justifiquem os riscos potenciais para o feto. Do mesmo modo, aconselha-se não administrar a mulheres durante o período de amamentação, a não ser que os benefícios para a mãe justifiquem o risco para o lactente.

Interações

Como o fármaco se transforma amplamente em seu metabólito por ação de esterases hepáticas, e também como apresenta mínima ligação com proteínas plasmáticas, é pouco provável que ocorram interações clinicamente significativas. Além disto, como o fármaco não é substrato para o citocromo P-450 nem para as glicuronil-transferases, a cimetidina não afeta a sua biodisponibilidade. A co-administração com fármacos de uso habitual (paracetamol, teofilina, ácido acetilsalicílico, ibuprofeno, enalapril, eritromicina) não provocou modificações da farmacocinética do oseltamivir.

Contraindicações

Hipersensibilidade ao oseltamivir.

Remédio que contêm Oseltamivir