PIRIDOSTIGMINA, BROMETO Informações da substância

Ações terapêuticas

Colinérgico (inibidor da colinesterase). Antimiastênico.

Propriedades

Composto sintético de amônio quaternário. Atua por inibição da degradação da acetilcolina pela acetilcolinesterase, e facilita a transmissão de impulsos na união neuromuscular. As respostas colinérgicas produzidas são: miose, bradicardia, constrição de brônquios e uréteres, estimulação das glândulas sudoríporas e salivares. Atua diretamente sobre o músculo esquelético. A maior duração da ação da acetilcolina que produz na placa motora permite aumentar a força muscular e a resposta à estimulação nervosa repetitiva (efeito antimiastênico). Absorve-se muito pouco no trato gastrintestinal. Metaboliza-se no plasma e no fígado. Excreta-se por via renal. O início da ação é mais curto que o da neostigmina, mas a duração é mais longa.

Indicações

Miastenia grave. Em sua forma parenteral, é indicada como antídoto da tubocurarina e de outros bloqueadores neuromusculares não-despolarizantes.

Posologia

Adultos, como antimiastênico- dose inicial: 60 a 120 mg a cada 3 ou 4 horas; dose de manutenção: 600 mg/dia; doses pediátricas: 7 mg/kg a 200 mg/m2/dia, divididas em 5 ou 6 ingestões.

Reações adversas

Pode provocar bradicardia, salivação e estimulação gastrintestinal, mas de incidência menor que a neostigmina; erupção cutânea (por reação de hipersensibilidade). Os sinais de superdosagem são: visão turva ou diarreia grave, náuseas, vômitos, bradicardia, cansaço ou debilidade não habituais.

Precauções

A administração dos comprimidos com alimentos ou leite pode diminuir os efeitos colaterais muscarínicos. Os pacientes que não toleram os brometos podem não tolerar a piridostigmina.

Interações

A ação bloqueadora neuromuscular de anestésicos orgânicos por inalação, lidocaína IV, lincomicina ou polimixinas pode antagonizar o efeito antimiastênico sobre o músculo esquelético. Não é recomendado o uso simultâneo de outros inibidores da colinesterase pela possibilidade de toxicidade aditiva. A procainamida ou quinidina podem antagonizar a ação antimiastênica.

Contraindicações

A relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de asma brônquica, pneumonia, atelectasia pós-operatória, bloqueio atrioventricular, bradicardia, obstrução mecânica do trato urinário ou gastrintestinal e infecções do trato urinário.