POLIGELINA Informações da substância

Ações terapêuticas

Coloide expansor da volemia.

Propriedades

A poligelina corresponde quimicamente à união de diversos polipeptídeos de gelatina bovina degradada unidos por pontes de uréia. O fármaco é utilizado em infusão intravenosa como substituto do plasma em pacientes que apresentam choque hipovolêmico em função de grandes perdas de sangue e plasma (hemorragias, queimados).

Posologia

A solução de poligelina é aplicada por via intravenosa e a velocidade do gotejamento deve ser adequada a cada situação clínica, observando-se os valores pressóricos. A velocidade da infusão pode ser calculada com base na seguinte fórmula. Exemplo: 500 ml devem ser perfundidos em 60 minutos. 500/(4x1(h)) = 125 gotas por minuto. Em situações críticas, medicina de urgência etc., a solução de poligelina pode ser aplicada em infusão rápida (500 ml em 5 a 15 minutos). Como a solução de poligelina contém cálcio, a calcemia deverá ser controlada, pois pode haver ligeiro aumento.

Reações adversas

Ocasionalmente, durante ou depois da administração de expansores de volume, podem manifestar-se reações cutâneas transitórias, hipotensão, taquicardia, bradicardia, náuseas/vômitos, dispneia, aumento de temperatura e/ou calafrios. Em raras oportunidades foram observadas reações graves de hipersensibilidade. Caso ocorram reações alérgicas/anafilactoides, a infusão deverá ser imediatamente interrompida. A infusão rápida pode precipitar reações alérgicas.

Precauções

A solução de poligelina não deve ser misturada in vitro com sangue ou plasma contendo citratos. Por outro lado, não há incoveniente em misturá-la com sangue heparinizado ou com as soluções para infusão habituais, bem como com medicamentos cardiovasculares, corticoides, ralaxantes musculares, barbitúricos, vitaminas, estreptoquinase, uroquinase, antibióticos do grupo da penicilina e cefotaxima, sempre que sejam hidrossolúveis.

Contraindicações

Antecedentes de hipersensibilidade aos componentes da solução e/ou de reações anafilactoides. Fica condicionado ao critério médico seu aplicação na vigência de insuficiência cardíaca congestiva, hipertensão, varizes esofágicas, edema de pulmão, diáteses hemorrágicas, anúria renal e pós-renal. Em todos os pacientes que apresentem maior risco de liberação de histamina.