POTáSSIO, FOSFATO Informações da substância

Ações terapêuticas

Acidificante. Antiurolitiásico.

Propriedades

Os fosfatos, administrados por via oral ou parenteral, fornecem fósforo iônico suplementar para a correção da hipofosfatemia em pacientes com baixa ingestão de fósforo ou naqueles que apresentam necessidade aumentada deste elemento. Os fosfatos eliminam o odor e a turbidez próprios da urina rica em amoníaco, associados com as infecções do trato urinário. A acidificação da urina causada pelo fosfato de potássio aumenta a solubilidade do cálcio, evitando assim a precipitação de depósitos de cálcio nas vias urinárias. Por sua vez, o fósforo modifica o estado de equilíbrio das concentrações de cálcio, exerce efeito tampão sobre o equilíbrio ácido-básico e interfere na eliminação renal de íons hidrogênio. Os fosfatos são bem absorvidos pelo trato gastrintestinal; não obstante, altas quantidades de cálcio ou alumínio podem formar compostos insolúveis com o fósforo e diminuir, assim, a absorção final resultante. O fosfato é eliminado em cerca de 90% pela via renal, e o restante pelas fezes.

Indicações

Tratamento e profilaxia da hipofosfatemia, coadjuvante no tratamento de infecções urinárias, profilaxia da litíase renal cálcica.

Posologia

Como acidificante ou antiurolitiásico: via oral, 228 mg de fósforo 4 vezes ao dia, juntamente com as refeições e antes de deitar. Como restaurador de eletrólitos: adultos, via oral, 250 mg de fósforo 4 vezes ao dia, juntamente com as refeições e antes de deitar. Via parenteral, 310 mg de fósforo ao dia, diluídos em grande volume, e de acordo com as necessidades de cada paciente. Crianças com idade até 4 anos: via oral, 200 mg 4 vezes ao dia, juntamente com as refeições e antes de deitar. Via parenteral, 46,5 mg a 62 mg de fósforo ao dia.

Superdosagem

Caso ocorra superdose, suspender imediatamente a administração de fosfatos e corrigir as alterações eletrolíticas plasmáticas (cálcio, potássio).

Reações adversas

Compreendem confusão, taquicardia, astenia, cefaleias, dispneia, edemas, convulsões, oligúria, enjoos, sensação de formigamento em torno dos lábios, fraqueza ou peso nas pernas, cãibras, aumento de peso por retenção hídrica. Com menor frequência observaram-se diarreia, náuseas ou vômitos e epigastralgia.

Precauções

Em razão de não haver sido realizados estudos em seres humanos, seu emprego em mulheres grávidas está recomendado unicamente no caso em que o benefício para a mãe supere os riscos potenciais para o feto. Não se sabe se o fosfato de potássio é eliminado pelo leite materno, razão pela qual seu uso durante a amamentação é recomendado unicamente quando o benefício para a mãe supere os riscos potenciais para o lactente. Não se recomenda sua administração para o tratamento da hipercalcemia. Recomenda-se monitorar a potassemia, em função de que altas concentrações de potássio podem causar morte por depressão cardíaca ou arritmias. Recomenda-se infundir lentamente o fosfato de potássio, com a finalidade de evitar a intoxicação com fosfatos.

Interações

A administração simultânea com quinidina potencializa os efeitos desta última. O fosfato de potássio retarda a eliminação de salicilatos, aumentando assim sua concentração sérica. A associação com vitamina D (incluindo o calcifediol e o calcitriol) pode aumentar o possível desenvolvimento de hiperfosfatemia, pois a vitamina D potencializa a absorção dos fosfatos. A acidificação da urina causada pelo fosfato de potássio aumenta a eliminação da mexiletina. O uso simultâneo de antiácidos que contenham magnésio ou alumínio, os oxalatos e os filatos com o fosfato de potássio causa a ligação e a diminuição da absorção do fosfato. A associação a digitálicos, captopril, diuréticos poupadores de potássio, enalapril e outros medicamentos que contenham potássio pode ocasionar hiperpotassemia grave.

Contraindicações

Hiperfosfatemia, hiperpotassemia. Urolitíase por fosfato amônio magnesiano, disfunção renal grave, hipoparatireoidismo, doença renal crônica, osteomalácia, pancreatite aguda, raquitismo, insuficiência adrenal grave (doença de Addison), desidratação aguda, destruição tecidual extensa como em queimaduras graves e miotonia congênita. Patologias que evoluem com níveis reduzidos de cálcio.

Remédio que contêm Potássio, fosfato