RIFAMPICINA - Interações

Aumenta o risco de hepatotoxicidade com a ingestão de álcool ou paracetamol. A rifampicina diminui os efeitos de hipoglicemiantes orais, anticoagulantes derivados da cumarina, ACTH, glicosídeos digitálicos, quinidina. Os salicilatos interferem na absorção de rifampicina. Os anticoncepcionais orais que contêm estrógenos, ou estes, diminuem sua eficácia devido à estimulação por parte da rifampicina do metabolismo do estrógeno ou à redução da circulação êntero-hepática dos estrógenos, o que propicia ocorrência de transtornos dos ciclos menstruais e gravidezes não desejadas. Potencializa o metabolismo da ciclosporina, da dacarbazina e a eliminação do diazepam. Aumenta a degradação hepática da levotiroxina e a eliminação de trimetoprima. Aumenta o metabolismo das xantinas. Em pacientes que recebem saquinavir/ritonavir não se deve empregar rifampicina, pelo risco de toxicidade hepática aguda.