SALBUTAMOL Informações da substância

Ações terapêuticas

Broncodilatador. Tocolítico de ação seletiva.

Propriedades

Agonista seletivo beta2-adrenérgico da musculatura brônquica e uterina, com escassa ou nenhuma ação nos receptores beta1-adrenérgicos da musculatura cardíaca.

Indicações

Broncospasmo na asma brônquica de todos os tipos, bronquite crônica e enfisema. Sintomas do parto prematuro durante o terceiro trimestre da gravidez, não complicada por condições como placenta prévia, hemorragia pré-parto ou toxemia gravídica.

Posologia

Adultosxarope e comprimidos: a dose efetiva é de 4 mg de salbutamol, 3 ou 4 vezes ao dia. Caso uma broncodilatação adequada não for obtida, pode-se aumentar cada dose, gradualmente, até 8 mg. Em pacientes idosos, iniciar o tratamento com 2 mg, 3 ou 4 vezes ao dia. Crianças de 2 a 6 anos: 1 a 2 mg, 3 ou 4 vezes ao dia: de 6 a 12 anos: 2 mg, 3 ou 4 vezes ao dia; maiores de 12 anos: 2 a 4 mg, 3 ou 4 vezes ao dia. Ampolas - via subcutânea IM ou IV, em broncoespasmos graves: 8 mg/kg, repetindo a cada 4 horas, conforme necessidade. Cápsulas rotacaps: somente usadas para inalação. Broncoespasmos agudos, prevenção da asma induzida por exercício - adultos: 200 a 400 mg; crianças: 200 mg. Terapêutica de manutenção ou profilática: adultos: 400 mg, 3 ou 4 vezes ao dia. A dose somente deverá ser aumentada por indicação médica, dado que podem apresentar-se efeitos adversos associados com uma dose excessiva. Solução para nebulizar: 2,5 a 5 mg de salbutamol, diluídos num volume final de 2 a 2,5 ml de soro fisiológico como diluente, ou sem diluição para administração intermitente, colocando-se 10 mg num nebulizador, e inalar até produzir a broncodilatação. Crianças menores de 12 anos: 2,5 mg de salbutamol, usando o mesmo procedimento para adultos. Aerossol no broncoespasmo agudo: 100 a 200 mg; crianças: 100 mg. Dose de manutenção ou profilática: 200 mg, 3 ou 4 vezes ao dia; crianças: 100 mg, 3 ou 4 vezes ao dia.

Reações adversas

Raramente, reações de hipersensibilidade, incluindo angioedema, urticária, hipotensão e choque; pode provocar hipopotassemia grave. Na terapêutica inalatória, pode provocar broncospasmo paradoxal, devendo-se suspender o tratamento e instituir terapêutica alternativa imediatamente. Em casos isolados, cãibras musculares transitórias.

Precauções

Pode provocar hipopotassemia grave, razão pela qual este efeito pode ser potencializado pelo uso de derivados xantínicos, esteroides, diuréticos, em pacientes com asma aguda grave. Seu uso não é recomendado durante o período de lactação e, embora sua utilidade no controle do parto prematuro seja reconhecida, não foi estabelecida total inocuidade no primeiro trimestre de gravidez. Pode aumentar os níveis de glicose no sangue, podendo apresentar um quadro de cetoacidose nos diabéticos. O tratamento do parto prematuro com salbutamol aumenta a frequência cardíaca materna de 20 a 50 batimentos por minuto.

Interações

Não é contraindicado em pacientes em tratamento com inibidores da monoaminoxidase (IMAO). Não deve ser prescrito juntamente com outras drogas betabloqueadoras não seletivas, como o propranolol.

Contraindicações

É contraindicado em pacientes com hipersensibilidade ao princípio ativo. Não deve ser usado em ameaça de aborto, durante o primeiro ou segundo trimestre de gravidez.

Remédio que contêm Salbutamol