SULBACTAM Informações da substância

Ações terapêuticas

Inibidor das betalactamases.

Propriedades

O sulbactam é um inibidor irreversível das betalactamases. Não possui atividade antibacteriana própria e deve ser utilizado em associação com uma betalactamina: ampicilina, amoxicilina, piperacilina, mezlocilina, cefoperazona, cefotaxima.

Indicações

São as mesmas das betalactaminas associadas: infecções da pele e faneros provocadas por cepas de Staphylococcus aureus, Escherichia coli, Klebsiella, Proteus mirabilis, Bacteroides fragillis, Enterobacter e Acinetobacter calcoaceticus resistentes produtores de betalactamases; infecções intra-abdominais provocadas por Escherichia coli, Klebsiella, Bacteroides fragilis e Enterobacter resistentes produtoras de betalactamases; infecções ginecológicas provocadas por Escherichia coli e Bacteroides fragilis resistentes, produtores de betalactamases.

Posologia

Via oral: adultos e crianças maiores de 12 anos, entre 250 e 500 mg a cada 8 horas; crianças menores de 12 anos: 25 a 50 mg/kg/dia, divididos em 3 ingestões. Via IV ou IM profunda - adultos e crianças maiores de 12 anos: entre 250 e 500 mg a cada 8 horas; crianças menores de 12 anos: 125 mg a cada 8 horas.

Reações adversas

Manifestações digestivas: diarreias, vômitos, náuseas, dispepsia e dor abdominal. Erupção cutânea, manifestações alérgicas, urticária, eosinofilia, edema de Quincke, excepcionalmente choque anafilático. Elevação das transaminases, trombocitopenia e leucopenia. Excepcionalmente, cefaleias e crises convulsivas.

Precauções

Qualquer manifestação alérgica impõe a detenção imediata do tratamento. A inocuidade durante a gravidez não foi estabelecida. Passa em pequenas quantidades ao leite materno.

Contraindicações

Hipersensibilidade aos antibióticos do grupo das betalactaminas.

Remédio que contêm Sulbactam