SULFISOXAZOL Informações da substância

Ações terapêuticas

Quimioterápico antimicrobiano.

Propriedades

O sulfisoxazol (ou sulfafurazol) é uma clássica sulfonamida solúvel e absorvível de ação curta, como a sulfadiazina. Seu mecanismo de ação é bacteriostático, como todas as sulfamidas, porque impede o desenvolvimento e crescimento de bactérias ao inibir competitivamente a incorporação do ácido para-aminobenzoico (PABA) afetando assim a síntese do ácido fólico, essencial para a proliferação dos microrganismos. É rapidamente absorvido no trato gastrintestinal, difunde-se ao sangue e liga-se às proteínas plasmáticas (50-60%). Sua meia-vida é de 5-6 horas e é biotransformado no fígado (acetilação). A proporção acetilada presente no soro é de 25-30%. Sua eliminação é rápida a nível renal como fármaco livre acetilado. Com a chegada da era antibiótica, esses derivados sulfonamídicos têm perdido vigência terapêutica, superados pelos atuais antibióticos.

Indicações

Infecções respiratórias, otorrinolaringológicas (otite) e urinárias.

Posologia

Como único agente em adultos, 2-4 g como primeira dose e depois 1 g cada 6 horas. Em crianças, 150 mg/kg/dia. Em sua associação com eritromicina para uso pediátrico, a dose média é de 50 mg/kg/dia para o macrolídico e 150 mg/kg/dia para o sulfisoxazol.

Reações adversas

Ocasionalmente: náuseas, vômitos, epigastralgias, febre, cefaléias, prurido, reações cutâneas, leucopenia, trombocitopenia, colestase biliar, nefropatias, púrpura trombocitopênica, necrólise epidérmica, hepatite, anemia hemolítica, cristalúria.

Precauções

Em tratamentos prolongados devem ser realizados controles periódicos da função hemática, glicemia e tempo de Quick. Aconselha-se uma hidratação abundante durante o tratamento.

Interações

Pode deslocar os anticoagulantes orais de sua ligação com as proteínas plasmáticas. O uso de anestésicos locais (benzocaína, procaína, tetracaína) pode antagonizar o efeito do fármaco. Com hexametilentetramina o risco de cristalúria é potenciado. A alcalinização da urina mediante administração de bicarbonato de sódio (12 g diários) aumenta a solubilidade da sulfamida, prevenindo a cristalúria. O ácido ascórbico, ao acidificar, facilita a precipitação de cristais de sulfamidas.

Contraindicações

Insuficiência hepática ou renal grave, hipersensibilidade aos derivados sulfamídicos, discrasias sangüíneas. Lactantes, prematuros, nas primeiras 6 semanas de vida. Gravidez e lactação.