TIABENDAZOL Informações da substância

Ações terapêuticas

Anti-helmíntico.

Propriedades

Vermicida derivado do benzimidazol; inibe a fumarato redutase, enzima específica dos helmintos. Embora também possa ser ovicida e larvicida, não exerce efeito sobre as larvas de Trichinella spiralis enquistadas no músculo. Também possui ações anti-inflamatórias, analgésicas, antipiréticas, antimicóticas e escabicidas leves. Absorve-se bem e rapidamente no trato gastrintestinal. Metaboliza-se no fígado de forma rápida e quase por completo a conjugados de 5-hidroxitiabendazol, um sulfato ou glicuronídeo inativos. O tempo até obter a concentração máxima de tiabendazol e metabólitos é de 1 a 2 horas. Elimina-se por via renal até 90% ou mais como metabólitos inativos, em 48 horas.

Indicações

Estrongiloidose, toxocaríase, triquinose, causadas por Trichinella spiralis.

Posologia

Adultos: capilaríase 25 mg/kg 1 vez ao dia durante 20 a 30 dias. Estrongiloidose: 25 mg/kg 2 vezes ao dia durante um período de 2 dias ou 50 mg/kg como dose única. Triquinose 25 mg/kg 2 vezes ao dia durante 2 a 7 dias. Dose máxima para adultos: até 3 g diários.

Reações adversas

Os metabólitos também podem gerar efeitos adversos. Artralgias, calafrios, febre, erupções cutâneas ou prurido, cansaço ou debilidade não-habituais (hipersensibilidade, síndrome de Stevens-Johnson). De incidência rara: visão turva, intumescimento ou formigação nas mãos e nos pés. Enjoos, anorexia, náuseas, vômitos, diarreia, cefaleias, sonolência.

Precauções

Recomenda-se cumprir estritamente o ciclo de tratamento; algumas infecções podem requerer um segundo ciclo. Deve ser tomado de preferência após as refeições, a fim de minimizar os efeitos colaterais tais como náuseas, vômitos, enjoos e anorexia. Nos pacientes com disfunção hepática ou renal pode haver a necessidade de redução da dose.

Contraindicações

A relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de disfunção hepática ou renal.

Remédio que contêm Tiabendazol