TRIEXIFENIDIL Informações da substância

Ações terapêuticas

Antidiscinésico.

Propriedades

Embora o mecanismo de ação específico ainda seja desconhecido, acredita-se que bloqueia parcialmente os receptores colinérgicos centrais (do corpo estriado) e contribua para o equilíbrio entre a atividade colinérgica e dopaminérgica nos gânglios basais. Pode diminuir a formação de saliva e produz relaxamento do músculo liso por ação antiespasmódica direta. Em doses baixas deprime o SNC, porém doses elevadas podem produzir excitação cerebral. Absorve-se bem no trato gastrintestinal. O início da ação evidencia-se uma hora após a administração oral e sua ação dura de 6 a 12 horas.

Indicações

Casos leves de parkinsonismo pós-encefalítico, arteriosclerótico ou idiopático. Reações extrapiramidais induzidas por fármacos.

Posologia

Adultos: 5 mg após o desjejum e 5 mg adicionais 12 horas após, se necessário; dose máxima: 15 mg diárias.

Reações adversas

Confusão, mais frequente em idosos ou com doses elevadas. Aumento da pressão ocular, erupção cutânea. Síndrome de superdosagem: torpor ou desequilíbrio, sonolência, dispneia, alucinações, crises convulsivas e taquicardia. Requerem atenção médica se persistirem ou incomodarem: visão turva, constipação, secura na boca, náuseas, vômitos, aumento da fotossensibilidade ocular e cefaleias. Sintomas de abstinência após a suspensão do tratamento de longo prazo: ansiedade, dificuldade para falar ou engolir, espasmos musculares, rigidez de braços ou pernas, enjôos, taquicardia e problemas para dormir.

Precauções

Consultar o médico antes de suspender o tratamento; pode ser necessária a redução gradual da dose. Evitar a ingestão de álcool ou de outros depressores do SNC. Evitar o emprego de antiácidos ou antidiarreicos durante a hora que segue a administração do fármaco. Ter precaução se ocorrer sonolência ou visão turva. Os antidiscinésicos podem inibir a lactação. O uso crônico pode predispor os pacientes de idade avançada ao glaucoma. Ao diminuir ou inibir o fluxo salivar, pode aumentar a incidência de cáries, doença periodontal, candidíase oral ou mal-estar.

Interações

Potencializam-se os efeitos antimuscarínicos com o uso simultâneo de fenotiazinas, amantadina, antidepressivos tricíclicos, haloperidol, IMAO, procainamida. Os antiácidos e antidiarreicos absorventes podem reduzir os efeitos terapêuticos do triexifenidil. Aumenta a eficácia da levodopa, embora não seja recomendado o uso simultâneo no caso de antecedentes de psicose. Aumenta o metabolismo da clorpromazina e produz uma diminuição das concentrações plasmáticas desta. Os depressores do SNC potencializam os efeitos sedantes.

Contraindicações

A relação risco-benefício deverá ser avaliada na presença de: arritmias cardíacas, discinesia tardia, glaucoma de ângulo fechado, glaucoma de ângulo aberto, disfunção hepática ou renal, miastenia grave, hipertensão, hipertrofia prostática moderada ou grave e retenção urinária.

Remédio que contêm Triexifenidil