VITAMINA B12 Informações da substância

Ações terapêuticas

Suplemento nutricional (vitamina).

Propriedades

Age como coenzima em várias funções metabólicas, incluindo o metabolismo das gorduras, carboidratos e síntese de proteínas. É indispensável ao crescimento, reprodução celular, hematopoiese, e síntese de nucleoproteínas e mielina, devido ao seu efeito sobre o metabolismo de metionina, ácido fólico e ácido malônico. É absorvida com facilidade no trato gastrintestinal (exceto nas síndromes de má-absorção), sobretudo na metade inferior do íleo. A presença do fator intrínseco (FI) é essencial para sua absorção oral pois ocorre a formação do complexo vitamina B12-FI no estômago, que passa para o intestino, local onde se liga aos receptores da vitamina B12 presentes na mucosa do íleo, sendo, desta forma, absorvida passando à circulação. Sua ligação às proteínas é muito alta (proteínas plasmáticas específicas denominadas transcobalaminas). Metaboliza-se no fígado e elimina-se por via biliar. As quantidades superiores às necessidades diárias são excretadas pela urina. Existem algumas diferenças entre a hidroxocobalamina e a cianocobalamina; assim a hidroxocobalamina é a preferida para o tratamento da deficiência de vitamina B12.

Indicações

Anemia perniciosa (por falta ou inibição do fator intrínseco). Profilaxia e tratamento de deficiência vitamínica devido a nutrição inadequada ou má-absorção intestinal. Não deve ser administrada como suplemento dietético antes de assegurar-se de não se tratar de uma anemia perniciosa ou deficiência de ácido fólico. Como suplemento em pacientes que recebem nutrição parenteral. Gravidez. Lactação.

Posologia

Devido à baixa freqüência com que se produzem deficiências de uma só vitamina B, geralmente ministram-se associações. As melhores fontes dietéticas de vitamina do complexo B12 encontram-se nas proteínas animais, carnes, mariscos, gema de ovo e queijos fermentados. A via oral só é útil para o tratamento da deficiência nutricional de vitamina B12 e não é eficaz em doenças do intestino delgado, síndromes de má-absorção ou após a ressecção do estômago ou do íleo. Não deve ser administrada de forma injetável pela via IV. Dose usual para adultos (injetável), como suplemento nutricional no período inicial: 0,03 a 0,05mg/dia durante 5 a 10 dias. Dose de manutenção: 0,1 a 0,2mg 1 vez ao mês. Doses pediátricas: no período inicial, 0,03 a 0,05mg dia durante 2 semanas ou mais. Dose de manutenção: 0,1mg 1 vez por mês. Comprimidos, adultos: 0,001mg ao dia. Crianças de até 1 ano: 0,0003mg/dia. Crianças maiores de 1 ano: 0,001mg/dia.

Reações adversas

Raramente provoca toxicidade em indivíduos com função renal normal. Pode provocar erupção cutânea ou prurido, sibilâncias (reação anafilática após a administração parenteral).

Precauções

As vitaminas não devem ser usadas como substitutas de dietas variadas e equilibradas.

Interações

As formulações contendo potássio de liberação lenta, bem como os aminosalicilatos, colestiramina, colchicina e neomicina podem reduzir a absorção da vitamina B12 no trato gastrintestinal. O ácido ascórbico pode degradar a vitamina B12. O uso simultâneo com cloranfenicol pode antagonizar a resposta hematopoiética à vitamina B12.

Contraindicações

Hipersensibilidade à vitamina B12. Doença de Leber, pois têm-se produzido casos de atrofia do nervo ótico imediatamente após a administração, pois as concentrações de vitamina B12, neste caso, já são bastante elevadas.

Remédio que contêm Vitamina B12